Iluminação de Aquários Plantados

Este artigo se aplica a utilização de lâmpadas convencionais.

Luz

Quando foi a primeira vez que você parou para pensar o que é a Luz? A luz sem dúvida é uma das coisas mais estranhas e maravilhosas que podemos experimentar no dia a dia, é algo tão mundano que muitas pessoas nunca pararam para pensar sobre isso, porém os poetas, os sábios  e, mais recentemente os cientistas, por séculos e séculos tem se esforçado para entender essa parte tão intrigante do nosso universo, do nosso dia a dia. 

A luz é uma parte pequena do espectro eletromagnético, pelo fato de enxergarmos a luz com nossos olhos muitas vezes esquecemos que a luz é uma onda magnética, no gráfico do espectro magnético abaixo você poderá entender melhor onde se encaixa essa pequena fatia que podemos ver, a luz visível,  em meio a uma enorme variedade de radiações que existem no universo.


Luz x Plantas

Bilhões de anos atrás, quando os primeiros organismos biológicos começaram a surgir neste planeta, a primeira fonte de energia desses organismos era de origem química, compostos presentes no ambiente serviam como fonte de energia para o metabolismo desses seres arcaicos, durante milhares de milhares de anos eles se aperfeiçoaram nessa função e sobreviveram. Após eras e eras o planeta mudou, a composição química dos oceanos, a composição química da atmosfera, todas as condições lentamente permitiram que esses seres pudessem seguir o caminho da evolução, ao longo de mais alguns milhões e milhões de gerações, se adaptaram as novas condições, que mudavam muito lentamente, e exploraram novas possibilidades de existência,  alguns deles começaram a usar a luz como fonte de energia e a vida explodiu em formas e variedades de seres que ocuparam definitivamente cada canto possível para a vida neste planeta. 

Plantas, bactérias e fungos possuem uma gama de substâncias sensíveis a luz, não só a luz visível, mas do ultravioleta ao infravermelho, muito além do que nossos olhos são capazes de enxergar. Essas substâncias são responsáveis por várias funções metabólicas nas plantas e como mediadoras de outras várias funções fisiológicas e morfológicas, como a germinação, o crescimento internodal, a forma, tamanho e movimento das folhas, a síntese de clorofila e a floração, para citar alguns. Uma curiosidade sobre a relação das plantas com a luz é que pesquisas moleculares confirmaram que o Fitocromo, uma proteína com função de fotorreceptor ativado pela luz ultravioleta e infravermelha, é uma herança de organismos Procariontes muito mais antigos que as plantas, ou seja, o mecanismo de ativação/reação a luz já existia quando as plantas se diferenciaram no começo da vida neste planeta. 

Decomposição da Luz solar Branca

Plantas tem suas funções biológicas particularmente relacionadas as faixas vermelha e azul do espectro de luz visível e infravermelho e ultravioleta do espectro magnético não visível aos nosso olhos. Neste momento alguém pode estar pensando: -Mas e o verde? A maioria das plantas são verdes! - Essa é uma curiosidade de como a física funciona em nossos olhos. Quando as plantas recebem a luz, ela chega até elas na forma da luz do Sol, que é composta e por isso nos parece branca (imagem acima), como já falamos lá no começo a luz é uma fonte de energia, mas as plantas não aproveitam toda essa energia, logo o que não é aproveitado é descartado, traduzindo isso em realidade as plantas "se livram" dessa radiação extra emitindo de volta, a maior parte dessa radiação não aproveitada e reemitida está na faixa do verde, por isso o pigmento responsável pela fotossíntese, a clorofila, nos parece verde aos olhos e por isso a maioria das plantas são verdes: elas estão se livrando do excesso de radiação que não será aproveitado por elas. Algumas plantas possuem uma quantidade maior de outros pigmentos e por isso podem ter tons diferentes de verde ou cores diferentes do amarelo ao vermelho intenso, passando por todos os tons possíveis nesse caminho: rosa, laranja, salmão e até púrpura. Você já deve ter observado que algumas plantas sempre emitem novas folhas em um tom profundo de vermelho, o pigmento responsável por essa cor vermelha tem função protetora e permite que as folhas novas e ainda não completamente amadurecidas não sofram muito com as radiações mais potentes nas faixas do vermelho e UV. 

A natureza teve bilhões de anos para experimentar, criar e adaptar todos esses mecanismos, e algumas plantas são bastante flexíveis em relação a parâmetros de luz, podendo se adaptar a uma infinidade de situações das mais variadas possíveis. Isso fica evidente se você pensar que, desce o começo do século XX as pessoas estão mantendo plantas em aquários das formas mais variadas possíveis, com grau variado de sucesso, e a medida que os parâmetros necessários começaram a ser entendidos, não só iluminação, as plantas aquáticas começaram a prosperar em nossos tanques, até mesmo as que um dia foram consideradas impossíveis de se manter. Entender o básico dessa dinâmica irá te permitir não só entender porque, mas quais caminhos seguir, é tudo uma questão de lógica e as coisas se encaixam como um quebra-cabeça que você irá montar aos poucos e finalmente chegar a obra pronta.

Evolução das Plantas desde as Algas unicelulares não vascularizadas até as Plantas Superiores

Parâmetros da Luz Aplicada a Iluminação de Aquários

PAR

Photosynthetically Active Radiation ou simplesmente PAR (Radiação Fotossinteticamente Ativa), refere-se a parte do espectro luminoso que ativa as funções fisiológicas nas plantas, essa faixa do espectro encontra-se entre 380nm até 750nm, sendo de 400nm a 700nm a faixa mais utilizada pelas plantas.


Alguns fabricantes incluem as tabelas de PAR nas informações das suas lâmpadas, na internet é possível encontrar medições de várias lâmpadas feitas por aquaristas, geralmente elas vem em forma de tabela mostrando os valores de medição em várias situações onde varia a altura da lâmpada em relação a superfície da água x a profundidade do tanque. Quanto mais alta a lâmpada for posicionada e quanto mais profundo for o tanque menores serão os valores de PAR, os refletores também interferem nessa medida uma vez que eles aumentam a eficiência da luz direcionando-a para baixo, refletor ruim é sinônimo de desperdício.

Outra informação importante: quando você liga uma fonte de luz direcionada você cria um cone de luz (imagem abaixo), a intensidade do PAR irá variar de mais forte para mais fraco a medida que você se afasta do centro do cone. Trazendo para o mundo real: Uma planta posicionada imediatamente no centro do cone de luz de uma lâmpada receberá muito mais luz que uma planta posicionada fora do centro.

Exemplo da variação do PAR no cone de luz

Sabendo dessa informação você poderá levar em conta as características do PAR das lâmpadas que você pretende usar e como ela irá se comportar na sua instalação considerando a altura dela e a profundidade do seu tanque. Os fabricantes costumam fazer recomendações, consulte a internet para ler a experiência de outros aquaristas com lâmpadas específicas.

Ativação da Fotossíntese

Até aqui já sabemos da importância da qualidade e intensidade do espectro luminoso para que as plantas consigam realizar suas funções biológicas de forma eficiente. É preciso observar que existe uma diferença entre a forma que as plantas terrestres e as plantas aquáticas reagem fisiologicamente a luz, enquanto as plantas terrestres tem respostas morfológicas relacionadas a luz azul e vermelha, por exemplo, ficando mais compactas com a luz azul, no meio aquático essa reação tem mais a ver com as trocas gasosas, em especial o acesso ao CO2 e ao O2, daí a importância da circulação aliada a uma boa iluminação do aquário.

Existem duas variedades de clorofila, ambas relacionadas ao ciclo de produção de alimento, com faixas distintas de ativação no azul e no vermelho, por décadas escutamos e lemos sobre a importância dessas duas faixas de luz para a fisiologia vegetal, no entanto, vários pigmentos presentes nas plantas absorvem frequências diferentes do espectro luminoso, praticamente todo o espectro luminoso visível é necessário para o desempenho eficiente das funções biológicas, fornecer um espectro limitado não impede que as plantas floresçam, a longo prazo a quantidade de luz supera em importância a qualidade da luz na eficiência fisiológica, essa é uma característica que explica porque iluminação de baixa qualidade consegue produzir resultados razoavelmente satisfatórios. 

Pigmentos x Faixas do Espectro envolvidas em sua ativação
 
Como o que sabemos até agora você já poderá responder uma pergunta muito importante: A lâmpada /lâmpadas que eu vou utilizar atendem as necessidades fisiológicas das plantas que eu quero cultivar?

IRC

Índice de Reprodução de Cor ou IRC é uma informação muito comumente encontrada nas características da maioria das lâmpadas utilizadas em iluminação, procure na embalagem, esse parâmetro indica como a luz de uma lâmpada reproduz as cores quando iluminadas por ela. O valor de referência é a luz do Sol ao meio-dia que recebe valor de 100, quanto mais próximo desse valor melhor a reprodução de cores de uma lâmpada, ou seja, a cor do objeto iluminado será visualizada pelo observador sem grandes alterações. 

Fluxo Luminoso

A quantidade de Luz emitida por uma lâmpada é chamada de Fluxo Luminoso, essa informação pode ser cruzada com os valores de PAR, se disponíveis, onde você poderá observar que lâmpadas com fluxo luminoso elevado tem valores de PAR também elevados. Esse valor é expresso em Lumens, para aquários plantados neste artigo usaremos esse valor calculado por Litro, os valores de referência serão:

Iluminação fraca:  < 25 Lumen/L
Iluminação média: >25 - 55 Lumen/L
Iluminação forte: >55 - 90 Lumen/L
Iluminação intensa: > 90 Lumen/L 

Temperatura de Cor

A Temperatura de Cor de uma lâmpada indica a cor que essa lâmpada irá produzir, essa informação vem expressa em K (Kelvins) e, assim com o IRC, afeta o aspecto estético do tanque, lâmpadas na faixa dos 6500K tem IRC mais elevado, pois a reprodução das cores tende a ser mais fiel.

3000K -> Luz amarelada (lâmpadas incandecentes)
5500K -> Luz branca quente (lâmpadas fluorescentes/Metal Halide brancas amareladas)
6500K -> Luz branca fria (lâmpadas fluorescentes/Metal Halide brancas azuladas)
9000K -> Luz azulada (Lâmpadas HQI)

Naturalmente ocorre uma variação na Temperatura de Cor da luz ao longo do dia, alguns sistemas de iluminação modernos inclusive já simulam essa variação. Lâmpadas para iluminação de aquários plantados geralmente tendem ao branco quente ou branco frio, porém os sistemas modernos com LED podem oferecer uma variedade infinita de configurações, visto que são modulares, como você pode optar em usar lâmpadas com características diferentes em conjunto. 

A grande questão aqui é mais estética que prática, você precisa apenas ter certeza de que além das características importantes para fisiologia das plantas a sua lâmpada também irá atender as necessidade estéticas do seu aquário.

Variação da Temperatura de Cor ao longo do dia



[Artigo em processo de expansão e atualização]

Lâmpadas Fluorescentes

Utilizando a Regra de Lúmens por Litro

Para entender este artigo é necessário saber o que são Watt, Lúmens, Fluxo Luminoso, IRC e Espectro Luminoso, leia este artigo antes: IRC, Fluxo Luminoso, Temperatura de Cor e Espectro Luminoso.

Minha intenção aqui não é escrever um tratado sobre iluminação, existem centenas na internet, leia-os, outro detalhe importante é que estou escrevendo tendo em mente um aquário BEM plantado, para aquário com apenas um ramo de Cabomba ou Valisneria no canto a dinâmica é outra e está fora do foco deste artigo. Dito isto quero fazer três observações que podem simplificar um pouco as coisas:
  1. Esqueça a regra de Watt / Litros definitivamente*;
  2. Use Lúmens/Litro [Lm/L] para saber qual a necessidade de luz para o aquário e Lumen/Watt [Lm/W] para saber quais lâmpadas são mais eficientes;
  3. Entenda o que é IRC, Fluxo Luminoso, Temperatura de Cor e Espectro Luminoso pelo menos!

Tudo o que a maioria das pessoas precisa ter em mente é que um aquário plantado necessita, para manter a maiorias das plantas saudáveis, até as mais exigentes, de uma iluminação em torno de 60 Lm/L (Lúmens por litro), mais que isso para ter plantas muito exigentes e com cores vermelhas/laranja/acobreadas fortes e sólidas. Por experiência, podemos classificar a iluminação da seguinte forma:

Iluminação Fraca <= 30 Lm/L
Iluminação Moderada >= 60 Lm/L
Iluminação Forte > 90 Lm/L

Para saber qual lâmpada escolher você precisa ter sempre esse parâmetro em mente e escolher as lâmpadas que podem oferecer esse fluxo de aproximadamente 60Lm/L para o volume do seu aquário.

As boas marcas trazem em suas embalagens a quantidade de Lúmens que a lâmpada emite, somando a quantidade de Lúmens de todas as lâmpadas e dividindo pelo volume do seu aquário você terá uma medida aproximada de quanto de luz elas vão fornecer em Lúmens.

Então qualquer lâmpada que emita uma quantidade grande de Lúmens será ótima para o meu aquário? Não. Por que nem só de Lúmens se faz uma boa iluminação, pense por exemplo numa lâmpada HQI, ela tem um alto rendimento em Lúmens, porém o espectro luminoso é restrito e assim as plantas que normalmente apresentariam colorações vermelhas tendem a permanecer verdes.

O Espectro Luminoso, grosso modo, é a representação gráfica dos picos que compõem a luz. Lembra daquela aula de ciências onde falavam que um velhinho¹ pegou um prisma e descobriu que ao passar um raio de luz por ele aparecia um arco-íris? Porque o raio de luz branca original na verdade é composto por todos aquelas cores que aparecem separadas após o mesmo raio sair do prisma?

Então, o que acontece é que nossas queridas plantas usam muito algumas dessas faixas coloridas [vermelho/azul] em vários processos fisiológicos, entre eles a fotossíntese. Usam um pouco de outras faixas e quase nada ou nada de algumas outras faixas de cor. Como a faixa do verde que é refletida pela clorofila a maioria das plantas é verde.

Você precisa garantir que essa demanda de picos/faixas de cor do espectro seja atendida, então é essencial garantir um espectro amplo, ou seja, você precisa ter no seu aquário as várias faixas necessárias do espectro luminoso, e isso pode ser conseguido usando lâmpadas com amplo espectro ou misturando lâmpadas que se complementem.

Ao ler sobre Temperatura de Cor você vai saber qual a relação com o Espectro luminoso e vai entender por que a luz branca em geral é a mais adequada para o aquário plantado. Afinal a  luz branca contém todo o espectro! 

Da teoria à prática


Vamos imaginar que você, meu querido leitor, tenha um aquário de 80 litros (60 x 45 x 30 cm) e quer ele bem plantado, com aquelas plantinhas que você economizou um bocado para comprar e não quer perder. Levando em consideração a regra de Lm/L multiplique 80 litros por 60 Lúmens/L para ter uma iluminação razoável, a tabelinha está no começo do artigo, você chega ao número mágico de 4800 Lm totais que serão o necessário para esse volume de aquário, ou seja, você vai precisar usar quantas lâmpadas forem necessárias para fornecer 4800 Lúmens.

Observe a tabela abaixo:

Extraído do catálogo online da Osram

Nesta tabela da Osram estão listadas as lâmpadas tubulares T5 HO (High Output) com seus tamanhos, potências, fluxo luminoso, índice de reprodução de cor (IRC), temperatura de cor, etc. Se você leu o artigo indicado no começo deste então sabe que as lâmpadas com IRC mais próximos de 100 são as que reproduzem as cores mais naturais, no caso todas as lâmpadas tem IRC de 80 a 89 o que garante cores naturais com essa luz**, no mesmo artigo você leu que lâmpadas com 6500K tem a luz branca e um espectro luminoso que tende a ser bem distribuído por todas as faixas do espectro, garantindo não só os picos obrigatórios para a fotossíntese como também outros necessários para demais funções da fisiologia vegetal.

Sabendo disso tudo só nos resta escolher qual delas usar e, levando em conta o tamanho do aquário, fica óbvio que teremos que usa um dos três modelos de 549mm [54,9cm] de comprimento, afinal ela precisa caber "dentro" do tanque, entre elas apenas uma tem 6500K, luz branca.

A tabela indica que a lâmpada FQ 24W/885 HO tem 24W e 1600Lm, ao dividir 1600Lm por 24W você constatará que ela emite 66,66 Lm/W o que é um rendimento razoável para esta categoria de lâmpadas.

Agora vamos fazer umas contas: Se meu aquário tem 80 litros e eu quero oferecer pelo menos 60 Lumens por litro eu vou precisar de 60 [Lm] x 80 [Litros] = 4800 Lúmens totais. A nossa lâmpada emite 1600, então se eu dividir minha necessidade [4800 Lúmens totais] pelos 1600Lm [que nossa lâmpada emite] eu vou saber quantas lâmpadas eu vou precisar: 4800 / 1600 = 3 lâmpadas.

Resumo da ópera: Nosso aquário tem 80L, precisamos de 4800 lúmens para ter pelo menos 60Lm/L, se nossa lâmpada emite 1600Lm eu vou precisar de 3 lâmpadas para atender a demanda da maioria das plantas aquáticas para crescerem saudáveis***, para plantas mais exigentes aumentaria uma lâmpada chegando a 4 x 1600 = 6400 / 80 = 80 Lm/L e assim por diante.

Então essa é a lei? 
Não, essa é apenas uma opção.
Como eu falei no início desta postagem existem centenas de possibilidades em termos de iluminação, afinal para cada aquário de tamanho diferente tudo muda, e essa é apenas uma forma simplificada de fazer as coisas. Também lembre que o barato pode sair caro, compre lâmpadas de qualidade, não estou dizendo que você precisa de lâmpadas que custam uma fortuna, elas existem, são excelentes lâmpadas, mas tem o inconveniente de custarem uma quantidade desproporcional de nosso rico dinheirinho, a decisão é sua, mas fique ciente de que você tem e pode usar as opções mais baratas, como as lâmpadas do exemplo acima, e tem a garantia de que usadas corretamente elas funcionarão perfeitamente. A opção é sua. Sejam tubulares T8, T5 ou até as PLs econômicas, em muitas situações elas são o necessário para que seu aquário prospere.

Leia, aprofunde-se e experimente, só com a experiência e o tempo é que dominamos qualquer técnica, mas para isso é fundamental conhecer o básico, por isso leia, leia bastante sobre o assunto, aos poucos tudo ficará mais claro. Existem mais uma série de parâmetros que de acordo com o seu projeto poderão influenciar sua escolha.

¹ Nao é o Roger Waters, estou falando de Sir Isaac Newton!
* Vamos matar essa ideia, ela já foi útil e hoje mais atrapalha que ajuda;
** Estética é igual a cabeça, cada um tem a sua, se você prefere luz amarela, rosa, azul, roxa... Eu prefiro luz natural.
*** O crescimento ideal depende de outros parâmetros como fertilização, CO2 e manutenção regular do aquário;
**** Gostei desse nome! Use por conta e risco.

Referências
Eberhard Schc$fer; Ferenc Nagy (2006). Photomorphogenesis in Plants and Bacteria: Function and Signal Transduction Mechanisms. Springer Science & Business Media. pp. 1–2. ISBN 978-1-4020-3809-9.
Li, Jigang; et al. (2011). "Phytochrome Signaling Mechanisms". The Arabidopsis Book / American Society of Plant Biologists. 9: e0148. doi:10.1199/tab.0148. PMC 3268501. PMID 22303272.
WHICH PART OF THE LIGHT SPECTRUM IS USED FOR PHOTOSYNTHESIS? September 23, 2019 disponível em https://www.advancedplantedtank.com/blogs/light-3pillars/light-wavelength-indepth
Iluminação de aquários plantados: 21 conceitos disponível em http://www.aquahobby.com/articles/b_ilum.php

Comentários

  1. Excelente o tópico, precisamos mesmo derrubar o velho conceito do watt/litros.

    Bora compartilhar!

    ResponderExcluir
  2. À medida que fui lendo, tentei já fazer as contas para o meu futuro 200l. Excelente artigo.
    Só gostaria de comentar que, seguindo a sua própria lógica, a conta "...tem 24W e 1600lm...você constatará que ela emite 66,66 Lm/W. Perfeito para termos uma iluminação forte de 60 Lm/L" não faz sentido algum, já que está tentando desvincular o uso dos Watts. No meu entender, essa conta só é útil para saber a eficiência da lâmpada em fornecer os lumens, mas isso, somente se existisse escolha entre lâmpadas com Watts diferentes. O que acha?

    ResponderExcluir
  3. Oi Tejo,

    Veja bem, não há como deixar de considerar a potência da lâmpada em Watts, issa informção é universal.
    O que estou tentando explicar para as pessoas é para esquecer a relação Watts/Litro e se concentrarem na quantidade de Lúmens emitido pela lâmpada.
    Sempre que se quer apoiar a relação W/L alguém escreve "levando em consideração o uso de lâmpadas adequadas", concorda que se a pessoas souber ler e interpretar os parâmetros da lâmpada a relação W/L simplesmente é inútil? Pior, para aqueles que não se informam ou adoram propagar informações pela metade induzem uma porção de gente a cometer erros na escolha da sua iluminação.

    ResponderExcluir
  4. Concordo.
    Uma outra dúvida é, como fica essa relação de lumens/l, para a geração de algas. No "antigo" sistema de W/l, algumas pessoas aconselham .5W/l para principiantes, outras a média 1W/l, não leve isso ao pé da letra, só citando o que se encontra por aí. O que quero dizer é, se temos o número base de 60Lm/l, qual a conta para diminuirmos, se quisermos combater as algas, levando em conta somente o fator iluminação?

    ResponderExcluir
  5. A evolução das algas de um mero detalhe a uma grande dor de cabeça para um aquário plantado está sujeita a muitas variáveis, luz em excesso é só uma delas, o problema de algas as vezes resolve-se em alguns aquários simplesmente diminuindo a iluminação, em outros é preciso elevar a quantidade de luz... Isso quando a luz é o problema. As outras variáveis muitas vezes são ignoradas e tentam atribuir esse problema imediatamente a iluminação, algas exige um bom conhecimento para que o aquarista possa avaliar o aquário em busca de uma provável causa e então possa testar medidas, algo que nem sempre podemos indicar de modo preciso por uma descrição.
    Mas considerando o padrão do aquarismo brasileiro o problema do excesso de luz se dá pela FALTA de plantas no início do aquário, a maioria das pessoas ainda tem o mal hábito de iniciar o aquário com o setup para um plantado e esquece (seja por qual motivo for) de que as plantas são absolutamente necessárias neste início, e não 4 mudinhas disso e duas daquilo espalhadas em um aquário de 50, 60, 80, 100 litros... Assim realmente é complicado e um problema recorrente.

    ResponderExcluir
  6. Olá, já li e revi esse seu post, inúmeras vezes, até pq estou montando um novo plantado e como sempre a questão "iluminação" me deu dor-de-cabeça na hora.

    Pois bem, eu fiz algumas brincadeiras simulando várias medidas de aquários plantados, segue abaixo as algumas contas:

    A primeira conta foi utilizando esse seu exemplo de aquário:

    Aquario 80L
    Lumilux T5 HO 6500K 24W 1600Lm
    1600Lm / 24W = 66,66 Lm/W
    80 x 60 = 4800 / 1600 = 3 lâmpadas

    Pois bem, eu peguei no site da Osram a especificação das lâmpadas compactas que tenho aqui:

    Duluxstar 6500K
    10W 590lm
    15W 900lm
    20W 1200lm

    Aquario 42L
    Duluxstar E27 6500K 20W 1200lm
    1200 / 20 = 60
    42 x 60 = 2520 / 1200 = 2,1

    Aquario 31L
    Duluxstar E27 6500K 20W 1200lm
    1200 / 20 = 60
    31 x 60 = 1860 / 1200 = 1,55

    Aquario 31L
    Duluxstar E27 6500K 15W 900lm
    900 / 15 = 60
    31 X 60 = 1860 / 900 = 2,06

    Aquario 23L
    Duluxstar E27 6500K 15W 900lm
    23 X 60 = 1380 / 900 = 1,53

    Aquario 23L
    Duluxstar E27 6500K 10W 590lm
    590 / 10 = 59
    23 X 60 = 1380 / 590 = 2,33

    Depois que fiz todas as contas, percebi que a regra de Watt/Litro funcionaria perfeitamente, veja abaixo:

    Aquario 80L (do seu exemplo)
    Lumilux T5 HO 6500K 24W 1600Lm
    80L / 24W = 3,33
    ou 3 x 24W = 72W

    Aquario 42L
    Duluxstar E27 6500K 20W 1200lm
    42L / 20W = 2,1
    ou 2 x 20W = 40W

    Aquario 31L
    Duluxstar E27 6500K 20W 1200lm
    31L / 20W = 1,55
    ou 2 x 20W = 40W

    Aquario 31L
    Duluxstar E27 6500K 15W 900lm
    31L / 15W = 2,06
    ou 2 x 15W = 30W
    Aquario 23L
    Duluxstar E27 6500K 15W 900lm
    23L / 15W = 1,53

    Aquario 23L
    Duluxstar E27 6500K 10W 590lm
    23L / 10W = 2,3
    ou 2 x 10W = 20W

    Se estamos considerando 60 Lm/L para a regra, que é o mesmo valor dos 60Lm/W que é o valor que as lâmpadas comuns entregam, podemos normalmente usar o watt/litro para compor o projeto.

    Ou seja, tanto faz se a regra é watt/litro ou lúmen/litro, o importante é utilizar a quantidade de watts reais das lâmpadas, pois no mercado essas compactadas são vendidas como equivalentes as lâmpadas antigas, e nessa hora a pessoa pode errar, eu já vi muita gente em fórum considerando o valor equivalente de uma compacta para compor a iluminação.

    Eu fiz um apanhado e notei que todas as lâmpadas vendidas para uso residencial possuem esse valor 60LM/W bem próximo, ora fica um pouco abaixo ou acima.

    As lâmpadas especificas para aquários ou as HO possuem esse valor acima, como por exemplo uma Hagen T5 39W 3000lm, essa lâmpada tem 76,92lm/w!

    Abraço,
    Alberto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem varias lâmpadas que entregam mais Lumens com uma potencia menor, como algumas compactas de Led que vi recentemente que entregam mais de 800 lumens com 9w, uma florescente entrega essa quantidade de lumens com 15w, ou seja as possibilidades de conseguir uma boa iluminação com eficiência e economia são variadas.

      Excluir
  7. Oi Alberto,

    A diferença entre você e os outros é que você leu, releu, conhece os conceitos e usou lâmpadas adequadas para o setup, agora tente fazer o mesmo usando as lâmpadas comuns encontradas nas lojas que as vezes nem mesmo temos as informações disponíveis... Aquelas xing-ling por exemplo.

    O que eu estou tentando fazer aqui por meio desse artigo é justamente mudar o hábito não da regra em si, mas do próprio aquarista, por que como você mesmo viu a regra "W/L" funciona muito bem em um ambiente <<>>, as pessoas só precisam saber por que uma lâmpada é adequada ou não e criar hábito de consulta das informações a respeito do equipamento utilizado, muita gente ao contrário de você usa qualquer lâmpada que encontre seguindo a regra de W/L e o resultado é uma iluminação que não funciona e é ineficiente.

    O mercado de iluminação no Brasil está mudando acompanhando as tendências internacioanis, muitas lâmpadas de série da Osram tem uma ótima qualidade, mas nem sempre foi assim... Houve tempo que quando muito apenas uma linha de lâmpadas era boa para isso e era justamente as mais difíceis de achar, garanto que hoje a grande maioria das pessoas tem acesso a lâmpadas baratas e de qualidade, mas ainda assim eu prefiro ensinar como e o porque para que a pessoa escolha o caminha das pedras que vai seguir e não apenas apontar quais pedras ela deve pisar.

    ResponderExcluir
  8. Entendi, mas lendo novamente o post eu fico sempre com a impressão que a regra W/L é muito errada, a minha intenção foi colocar que essa regra é útil, mas em conjunto com o 60W/L.

    Sobre lâmpadas sem a informação dos lúmens, eu mesmo pesquisei a fundo as lâmpadas Boyu e é inacreditável, a gente não encontra nenhuma informação a respeito da quantidade dos lúmens, nem no site deles, e nem nas embalagens!

    Essas lâmpadas importadas chinesas são mais complicadas ainda, eu encontrei algumas T5 de 24W num preço muito bom, mas a informação dos lúmens que era boa nada!

    Então que fica a dica! Se a lâmpada tem 60W/L pode usar a regra dos Watts que o resultado é o mesmo.

    Abraço,
    Alberto

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde sou iniciante estou montando um aquario de 150*50*60 de 450 litros ja li varias vezes o post mais nao entendi, na loja onde estou comprando os materias o rapaz me indicou uma lampada t5 com 14000 de temperatura de cor nao encontrei nenhuma na internet com esse dado.Qual dessas lampadas seria indicada a de 54w ou a de 80 levando em conta o custoe quantas seriam necessarias.Obrigado

    ResponderExcluir
  10. Bom dia
    Estou montando um aquario com as medidas de 1,50 de comprimento, 0,50 de largura e 0,60 de altura.
    Estive lendo seu post sobre lampadas com 60lm/ le tambem fala sobre a temperatura de cor da lampada de 6500k.
    Pelos os cauculos que eu fiz na lampada que encontrei T5 Ho54w 840 54w-4000k, seria entao 4000k / 54w =74,074 lm/w
    e levando em consideraçao a regra Lm/L seria 450 litros X 60 = 27000 / 4450 Lm = 6,067.
    Seria entao 6 lampadas dessa referencia.
    Obrigado

    ResponderExcluir
  11. Olá Vinícius,

    Está cometendo um erro no cálculo, 4000K é temperatura de cor da lâmpadas em Kelvins e não o seu fluxo em lúmen. 4000K apenas indica que a lâmpada deve emitir luz que tente ao amarelo, mas não posso dizer mais que isso.

    ResponderExcluir
  12. Se 4450 for o total de lúmens emitido pela lâmpada, sim, então é só dividir esse valor pela potência em W e ter a média. Mas certifique-se de estar usando o valor correto, acho que 4450 é um valor demasiado.

    ResponderExcluir
  13. MASTER PHILIPS TL5 HO 54W/850 UNP
    Designação da Cor - Luz dia
    Temperatura de Cor - 5000 K
    Fluxo Luminoso - 4850 Lm

    Aquario 450 Litros
    4850 Lm / 54W = 89,81 Lm/W
    450 x 60 = 27000 / 1600 = 5,56 seria o numero de lampadas.
    6 LAMPADAS SERIA O SUFICENTE ?

    ResponderExcluir
  14. Vamos lá, Vinícius.

    Primeiro de tudo você calcula qual o valor de lúmens por W da lâmpada, isso é fácil, dividimos o total de Lúmens pela potência em W. Sendo:
    4850 / 54 = 89,81 Lm por W (Lm/W)

    Ou seja, para cada W emitido pela sua lâmpada acima você tem 89,81 Lm.

    Agora que sabemos o valor de Lm/W precisamos calcular quantas lâmpadas serão necessárias para 450L do seu aquário, isso também é simples, dividimos o volume do seu aquário pelo valor de Lm/W que descobrimos acima. Sendo:
    450L / 89,81 = 5,01

    Ou seja, pelos cálculos 5 lâmpadas serão o suficiente. Mas atenção, considerando que elas emitem 89,81 Lm/W que é bem mais que os 60Lm/W, você com 5 lâmpadas terá uma iluminação bastante forte e que, por isso, demandará que seu aquário seja bastante plantado ou terá problemas com essa luz toda.

    ResponderExcluir
  15. Meu nome é Marcelo
    Parabéns! Foi uma aula. Estou remontando meu aquário (1,20x0,50x0,40)depois de 10 anos(como tudo mudou!). A quantidade e qualidade de iluminação está quase superada. Agora..será q há como me indicar onde posso ter acesso a um projeto(desenho ou foto) de uma instalação de iluminação? Gostaria de fazer uma bem bonita e técnica para valorizar meu aquário. Mas uma vez, obrigado pela aula

    ResponderExcluir
  16. Parabéns pelo blog. Já está nos meus favoritos.

    Estou estudando a possibilidade de transformar meu aqua de 72L em um plantado. Por isso peço sua opinião para a escolha das lâmpadas.

    Pesquisando no site da osram encontrei as T5 HE. Pelo tamanho de meu aquário fico restrito às lâmpadas de 549mm de comprimento. Dentre elas me interessei pela luminux T5 HE 14W/850. Essa lâmpada é de 1300lm (92,8lm/W) e 5000K de temperatura de cor.

    Esta lâmpada com 5000K serve para plantados? As de 6500K não estão mais disponíveis nesse tamanho.

    Em caso afirmativo qual opção seria melhor para o aqua de 72L?
    1) 3xT5 (54lm/L)
    2) 4xT5 (72lm/L)
    3) 3xT5 + T8 p horticultura de 15W

    ResponderExcluir
  17. @Vinicius,
    Só pesquisando na net, geralmente essa parte da instalação é feita por profissionais ou pessoas mais habilidosas com a parte elétrica, que não é o meu caso.

    @Leandro
    Sim, as de 5000K servem, mas o tom de luz é um pouco mais amarelado, se não for problema para você pode usar, pra mim esteticamente eu sempre prefiro as brancas, apostaria na opção 2 que terá uma vida util maior, a opção 3 é custo alto para pouco benefício.

    ResponderExcluir
  18. Obrigado Alex.
    Procurei hoje em 3 lojas aqui em Maceió e não havia disponível T5 14W 5000K apenas de 3000 e 4000K. Vou continuar pesquisando. Estou pensando em usar compactas caso não encontre. A eficiência é menor mas a instalação é simples.

    ResponderExcluir
  19. tenho um aquario de 60L, apareceram algas amarelas nas pedras, uso uma lampada empalux fluorescente 5w 6400k, seria esse o proplema

    ResponderExcluir
  20. @Hugo

    Sim, estas algas são as famigeradas algas marrons que proliferam em aquários novos e/ou com baixa iluminação. Elas são fáceis de remover, mas se você não melhorar sua luz elas não vão dar trégua.

    ResponderExcluir
  21. teria como me dar uma ajuda tenho um aquario de 550l com 6 lampadas t5 com 6500k de 54w , esta correto para o volume do aquario

    ResponderExcluir
  22. Qual seria a marca e modelo das suas lâmpadas, grosso modo por serem t5 elas dariam conta se o aquário não for muito alto.

    ResponderExcluir
  23. è por isso que sempre olho quantos Lúmens a lampada emite. Eu nunca acreditei muito nessa medida de W/l pois cada lampada tem sua eficiencia (que é mensurada em lúmens/W) e também a altura do aquario muda muito na escolha da lampada ideal.

    ResponderExcluir
  24. Li e reli o tópico mas é realmente complexo para iniciantes. Estou montando um plantado de 105 litros brutos. Tenho 2 dúvidas:

    1ª Dúvida: pretendo usar lâmpadas Dymax T5 de 24w, white e pink. A white tem 103 l/w e a pink tem 42 l/w. Imaginando que eu use 1 white + 1 pink, posso calcular o l/w usando a média? Ou seja, (103+42)/2 = 72,5 l/w em média.

    2ª Dúvida: se eu puder usar 72,5 l/w como parâmetro, então devo calcular a quantidade de lâmpadas como: 105/72,5 = 1,44 lâmpadas T5 24w. Enfim, eu devo usar 1 white + 1 pink? Mas eu teria apenas 48w para 105 litros, resultando em 0,5 w/l.

    Onde estou errando? Help!

    ResponderExcluir
  25. ola boa noite galera sou leigo no assunto. trnho um aquario de 3 metros de comp,30 de largura e 60 de altura quero fazer plantado.quantas lapadas t5 de 54wats devo usar desde ja agradeco a colabotacao de vcs.

    ResponderExcluir
  26. Boa tarde ! O que acham dos super leds? estou iniciando com plantados e optei por um nano por ter pouca grana e não querer investir de cara muito numa coisa que não domino. O aquario tem 11,4L e veio já equipado com uma dicroica de 10w

    ResponderExcluir
  27. Eu tenho um aquário plantado de 550 litros qual a lâmpada eu posso usar e quantas lâmpadas?

    ResponderExcluir
  28. Olá...sou iniciante e construi um aquário de 1,15x47x60, porém no decorrer pensei em montar um plantado, mas parece que a altura de 60cm não é recomendado para a fotossíntese das plantas. Gostaria de saber se eu revestir o interior da luminária com papel refratário e colocar um adesivo prateado no vidro de trás ajudará a luz ir mais ao fundo ? Parabéns pelas informações.

    ResponderExcluir
  29. Olá...sou iniciante e construi um aquário de 1,15x47x60, porém no decorrer pensei em montar um plantado, mas parece que a altura de 60cm não é recomendado para a fotossíntese das plantas. Gostaria de saber se eu revestir o interior da luminária com papel refratário e colocar um adesivo prateado no vidro de trás ajudará a luz ir mais ao fundo ? Parabéns pelas informações.

    ResponderExcluir
  30. certamente a conta do lumens/l para Lampada HQI é de se considerar . as hqi tem altos lumens , ex: tenho um aquario de 200l .
    lampada avant 150w de 11.250 lúmens . fazendo as contas dá 75 lm/l . passando 15 lm/l de acordo com a "tabela" que o "ideal" seria 60 lm/l ; imagine se fosse colocar uma hqi de 200w em um aquario de 200l.

    ResponderExcluir
  31. Tenho um aqua de 100 l!
    A iluminacao e 4 t5 20 w e 6500 k, devido a falta de informacao sobre lm gostaria de saber se essa iluminacao esta adequada ao aqua!?

    ResponderExcluir
  32. ---Essa regra W/litro era utilizado na época que o aquarista não tinha tantas opções no mercado e conforme o tempo foi se passando a tecnologia foi deixando essa questão pra traz , antes o aquarista utilizavam lampadas fluorescente tubulares comuns e um pouco depois as compactas . (claro, as compactas ainda são uma boa opção, principalmente em aquarios cubos); vamos ao exemplo.
    ---uma lampada compacta da osram 26w tem 1800Lm, então para uma aquario de 100L considerando 1w/l, teria 4 lampadas de 26w, totais de 104w, agora pegamos os lumens da mesma 1800lm x 4lampada = 7200 lumens, agora divida os lumens totais por 60Lm/L de acordo com a tabela usada no texto a cima, 7200/60 = 120, superando o valor da litragem do aquario usado no exemplo que foi 100Litros.
    pois é, agora tem as tubulares LED 9W com bons 850lumens , imagine você usar a regra dos W/litro pra lampada LED, teria que por 10 lampadas de 9w. incabível né, além disso de estourar na luminosidade do aquario.
    VAi de LUMENS galera!

    ResponderExcluir
  33. Me tire uma dúvida, se meu aquario precisa de 2000 lumens e minha iluminação me fornecer 5000 lumens tem algum problema

    ResponderExcluir
  34. Tenho uma dúvida. Meu aquário plantado tem 250 litros. Eu uso duas lâmpadas LED de 1600 lumens cada, totalizando 3.200 lumens, o que dá menos de 13 lumens/litro. As plantas estão relativamente bem, embora acredito que daria para melhorar, porém, quando aumento a quantidade de lumens, há uma proliferação de algas. O que devo fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente você tem excesso de nutrientes na água, um aquário com iluminação forte exige controle dos parâmetros da água, verifique níveis de amônia, nitrito, nitratos. A filtragem pode não está sendo suficiente para decompor a matéria orgânica, veja se o seu volume de filtragem está adequado, se as mídias estão Ok. Verifique a manutenção regular: trocas parciais e limpeza do tanque tem que estar em dia, além disso a fauna precisa estar adequada ao tamanho do tanque e ao volume de filtragem e vice-versa.

      Excluir
  35. Estou montando um aquário que mede 1.80 x 60 de altura x 55 de largura, moro no sitio, ele vai ficar na varanda então pega luminosidade natural do sol indiretamente , estou na duvida se vou precisar por iluminação artificial e qual o tipo de planta ideal, pode me ajudar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Will ton, aconselho a começar com plantas mais rústicas como rabo de raposa, elodeas, valisnerias e echinodorus, e também algumas flutuantes como pistia e limnobium. Grande abraço.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado por comentar!
Todos os comentários serão lidos e só então aprovados para publicação, ou não.

Postagens mais visitadas deste blog

Folhas de Amendoeira no Aquário (Atualizado)

Bonsai no Aquário