junho 28, 2012

Técnica: Dry Starting


A grande maioria das plantas aquáticas que usamos em nossos aquários são na verdade plantas hidrófilas, ou seja, elas se desenvolvem emersas e podem ser adaptadas a vida submersa, estas plantas naturalmente ocorrem em locais onde estão sujeitas a períodos de seca e cheia, onde o ambiente sofre essa alternância duranta as estações. 

Hardscape quase pronto já com musgos.
Notadamente as plantas tendem a se desenvolver muito mais rapidamente na sua fase emersa do que na fase submersa, uma característica que recentemente passou a ser aproveitada na elaboração de aquários através da técnica chamada Dry Starting, ou Início Seco em tradução livre. Algumas plantas como musgos, as Anubias e as Microsorum são conhecidas pela lentidão inicial do seu desenvolvimento em aquários, mas estas plantas tem um desenvolvimento relativamente mais rápido quando emersas, assim como outras espécies.

Plantas emersas com crescimento vigoroso.
Tenho visto pelos fóruns internacionais uma ou outra experiência, mas nenhuma me chamou tanta atenção como a do aquascaper Just Willy que postou no seu perfil do Facebook algumas fotos atuais do aquário que foi iniciado utilizando esta técnica.


Em um tópico no PlantedTank.net, que já conta com mais de 10 páginas, documenta todo o setup e desenvolvimento do tanque até a foto acima que é uma das mais recentes, como podemos ver o resultado é impressionante. 

Confira! Vale a leitura.



junho 10, 2012

Areia de Filtro de Piscina: cuidados no manuseio


Primeiramente eu gostaria de dizer que não estou querendo causar pânico, apenas conscientizar a todos que como qualquer outra substância existe um risco relacionado ao manuseio inadequado da areia de filtro de piscina, esses riscos se tornam reais em situações onde há uma grande exposição do usuário, geralmente só ocorrendo em situações típicas de uma planta de processamento ou extração de areia.

A areia de filtro de piscina começou a ser utilizada em aquários em meados da década de 90, seu uso surgiu da necessidade de uma camada de areia que fosse não só eficiente como substrato para fixação das plantas, mas também como barreira ou camada isolante, de forma que os componentes da camada fértil do substrato (técnica comum na época) não fossem dispersados para coluna d'água, um dos pontos negativos do cascalho de rio e da areia grossa que eram usados até então.

Com a evolução do aquarismo no Brasil os solos industrializados compostos de vários tipos de areia calcinada começaram a chegar ao mercado e a se tornar mais populares pela praticidade e eficiência, a areia de filtro deixou de ser usada apenas como barreira, já que os novos solos férteis não tem essa necessidade, e a areia passou a ser usada como opção de areia cosmética na elaboração de substratos, onde o solo fértil está em uma área e a areia de filtro ocupa outra área distinta, geralmente na frente do aquário para dar um ar natural ao aquascape. 

Essa areia se constitui basicamente de grãos de cristais de quartzo com tamanhos que podem varias de um pó superfino com apenas alguns mícrons até grãos de 3 ou 4mm. O quartzo tem como vantagem a aparência homogênea, a variação de cor (transparente, branco, amarelo, rosa, âmbar), sua neutralidade, uma vez que o cristal não reage dentro do aquário alterando o pH da água, além da facilidade de se achar o produto e o preço relativamente acessível. Dai o produto ter se popularizado rapidamente. Cristais de quartzo são nada mais que sílica em seu formato cristalizado, um dos itens mais abundantes na formação do solo.

As diversas granulometrias da areia de filtro
Agora vem a parte não muito legal dos cristais de sílica que formam o quartzo: o pó aspirável, ou seja, aquela poeira muito fina que se forma quando a sílica cristalizada sofre algum tipo de abrasão, quando inalada em grandes quantidades e por período prolongado, se deposita nos pulmões e pode acarretar problemas sérios para saúde, os quadros mais graves podem chegar a silicose até ao câncer de pulmão.

Santo Deus! Vou esvaziar meu aquário agora!!!

Não adianta, você teria que mudar de planeta para se livrar do quartzo, ele é um dos minerais mais abundantes compreendo cerca de 12% de tudo o que existe.

Porém, para tranquilizar a todos, o Dr Marcelo K. postou nos comentários a informação de que os problemas de exposição a sílica, e o desenvolvimento de doenças como a silicose, ocorrem geralmente em pessoas que tem um longo histórico de exposição ao produto, ou seja, nosso trato esporádico não deve nos sujeitar a qualquer risco.

Como já vimos a sílica é um dos componentes mais comuns da crosta terrestre, não é a areia que está lá quietinha no fundo do seu aquário que vai te fazer qualquer mal, é o pó de sílica cristalizada muito fino que ao ser inalado poderá causar problemas de saúde, isso não inclui o seu aquário entre os fatores de risco. Não saber como manusear corretamente essa areia é que poderá eventualmente causar problemas.

As pessoas que estão mais expostas ao riscos da inalação de sílica cristalizada são aquelas que trabalham com cortes, polimento ou qualquer outra atividade que envolva abrasão e consequente formação de pó. No entanto é bom adotar algumas medidas de segurança que são válidas para qualquer tipo de pó que você eventualmente tenha que manusear:
  • Ao abrir uma embalagem que contenha pó esteja em local aberto, arejado, use uma máscara dessas comuns em tempos de epidemia;
  • Nunca, jamais, aproxime o nariz de um recipiente com qualquer substância em pó, a menos que você saiba exatamente o que é e esteja consciente dos riscos que ela pode acarretar.
  • Falando especificamente da areia: Da embalagem para água, faça isso imediatamente para que o pó que sempre vai existir dento do pacote seja lavado e assim não haja possibilidade dele entrar em suspensão no ar que você vai respirar;
  • Mantenha a embalagem bem fechada, se possível lacrada, e guardada em local adequado longe do alcance de crianças e animais.
A areia de quartzo sempre terá pó em sua embalagem, o atrito dos grãos entre si está constantemente desgastando-os, por isso eles parecem polidos e arredondados e sempre estão cobertos de uma fina camada de pó, a água age como um lubrificante diminuindo o atrito e fazendo com que o pó decante com o tempo.


Olha, eu fiquei com medo, ainda não estou seguro se quero continuar usando.

Aqui precisamos ter um pouco de ponderação, estamos constantemente exposto a uma gama incrível de substâncias químicas presentes em nosso ambiente comum, algumas que nem sonhamos estão sendo o tempo todo inaladas, você já pensou o tanto de farinha de trigo que sua mãe inala quando vai fazer um bolo? Ou a quantidade de pó que seus fertilizantes caseiros liberam quando você está displicentemente separando medidas para misturar soluções para o aquário ou mesmo adubar o jardim? Sabe aquele saco de pigmento que você precisou misturar no final de semana para terminar de pintar a parede da sua casa? Todas estas atividades corriqueiras envolvem algum tipo de risco, cabe a cada um de nós ter uma conduta adequada no seu manuseio, faz tempo que não vejo ninguém morrer por que aspirou sabão em pó, por exemplo, se é que isso é possível, mas é melhor não duvidar, vai que alguém encare como desafio. Mas enfim, o risco existe, mas os cuidados no manuseio irão minimizar ou anular este risco, só depende de você.

Links uteis que eu acho que vocês deveriam ler:

junho 06, 2012

Promoção de Aniversário




O Xylema completou 8 anos de existência e para comemorar será realizado um sorteio entre todos os leitores que desejarem concorrer a este belo Kit que a MBreda preparou especialmente pra vocês!

Por motivos técnicos a promoção será realizada inteiramente pelo Facebook, acessa lá o tópico oficial e participe! 

Boa sorte a todos!!!

Related Posts with Thumbnails