fevereiro 15, 2012

Videos: Plantas Aquáticas no México


Gostaria de compartilhar com vocês essa série de vídeos mostrando alguns biótopos do México e sua flora aquática, é bem interessante e um ótimo registro. São três vídeos curtinhos, vale a pena dar uma espiada.






Ultimamente eu ando com uma saudade tremendas das saídas em campo para procurar plantas e peixes, por isso os vídeos além de interessantes são nostálgicos para mim. 

fevereiro 10, 2012

Aquarium and Pond Plants of the World


Hoje eu gostaria de compartilhar com vocês um link muito antigo que tenho sempre a mão, já falei sobre este site antes, mas coisas boas sempre é bom mencionar de novo então aqui estamos.

Desde 2004
O Aquarium and Ponds Plants of the World é um serviço online para identificação de plantas aquáticas e palustres que é mantido por pesquisadores e que tem o endorso de órgãos como o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. O serviço funciona como um grande banco de dados online com informações, fotos, descrições e diversos fatos relevantes sobre plantas aquáticas e palustres. São mais de 300 páginas com cerca de 1800 fotos das espécies.

Existem duas formas de se usar o site, a primeira e mais simples é a Consulta Textual pela lista de gêneros ou família (você escolhe qual classificação usar) que compõem o banco em ordem alfabética, cada gênero dá acesso a uma página onde são abordas características e detalhes de algumas espécies, existe muita informação util, por lá e uma coisa que eu sempre gostei muito é que eles dizem que outras espécies podem ser confundidas com aquela que você está consultando. Por exemplo, se você abrir a página do gênero Acorus uma das primeiras informações é justamente quais espécies podem ser confundidas por ela, no nosso caso são: Carex, Cyperus, other sedges, Iris, Juncus, Sparganium, Vallisneria.

A segunda opção é um pouco mais avançada e exige um certo conhecimento não só de inglês como de botânica, especialmente morfologia vegetal, pois trata-se de um Aplicativo em Java que oferece a possibilidade de identificação de uma espécie por meio de suas características morfológicas e de hábito. As características estão agrupadas em forma de árvore e a medida que você vai selecionando as características da planta a aplicação vai eliminando aquelas que não se encaixam na sua seleção e destacando as prováveis candidatas. Outro detalhe importante é que se a sua conexão for lenta será mais difícil usar o aplicativo pois por ser uma ferramente visual ele carrega uma grande quantidade de imagens para ajudar durante a pesquisa. 

Tela da Aplicação em Java - Características agrupadas e com exemplos visuais.
A seta verde destaca as abas onde você pode alternar entre várias formas de visualização, e nas bolinhas numeradas heis a explicação:
  1. Selecione as características da planta que se deseja identificar;
  2. Seleção de filtragem ativa;
  3. Espécies que se encaixam no filtro;
  4. Espécies que estão fora das características selecionas.


É isso, espero que seja tão útil para vocês como tem sido pra mim ao longo de todos estes anos.



fevereiro 07, 2012

Know-how: Absorção de excessos de nutrientes segundo a Lei dos Mínimos


Texto da ADA Newsletter em sua última edição:

Os excessos de Nitrogênio (N) e Fósforo (P) no aquário precisam ser removidos por meios como a troca parcial de água para evitar infestação de algas. Enquanto o crescimento das plantas aquáticas não florescer, elas não serão capazes de absorver esta quantidade excedente. No entanto, uma vez que as plantas aquáticas tenham crescido saudáveis e densamente, o Nitrogênio e o Fósforo dificilmente serão detectados mesmo quando as trocas parciais não forem tão frequentes. Mesmo que o tanque tenha peixes que estejam  sendo alimentados adequadamente todos os dias, o nível destes nutrientes será extremamente baixos tão logo as plantas estejam densas o suficiente. Isto mostra que as plantas aquáticas têm uma excelente habilidade como purificadoras da água.

De modo a promover esta habilidade, nós precisamos entender como as plantas aquáticas absorvem nutrientes e então aplicar efetivamente o conhecimento adquirido. Diferentemente das plantas terrestres que absorvem seus nutrientes pelas suas raízes, as plantas aquáticas podem absorver nutrientes através da sua superfície incluindo folhas e caules. As plantas aquáticas desenvolveram esta característica de modo que para elas é possível absorver sais nutrientes dissolvidos no ambiente onde elas estão sempre imersas em água. Entre as plantas aquáticas, Cryptocoryne e Echinodorus são as espécies que efetivamente absorvem nutrientes por suas raízes, enquanto as plantas de caule absorvem mais nutrientes pela superfície das folhas. 

Para as plantas de caule, as raízes são meramente um órgão para ancorar a planta ao substrato. Plantas epífitas como as samambaias, musgos e as Anubias também absorvem nutrientes diretamente da água. Deste modo os efeitos imediatos da suplementação nutricional podem ser esperados adicionando fertilizantes líquido diretamente na água. Todavia, nem todos os fertilizantes líquidos são efetivos. POr exemplo, se fertilizantes líquidos criados para plantas terrestres forem adicionados diretamente no aquário, este tanque irá logo ser coberto por algas. 

De outra forma o aquário com peixes tem a tendência de experimentar um excesso de Nitrogênio e Fósforo, mas carência de Potássio e elementos traços. Existem uma regra amplamente conhecida que se chama "A Lei dos Mínimos" a qual estabelece que o crescimento das plantas é limitado pelo nutriente disponível em menor quantidade em relação ao total requerido pela planta. Este princípio também se aplica as plantas aquáticas em um aquário e, se a Leis dos Mínimos for aplicada de forma reversa, os nutrientes que estiverem sobrando em maior quantidade serão absorvidos se forem suplementados os nutrientes que estão faltando no aquário.
-*-

O texto acima é uma excelente síntese do que vem a ser um dos maiores desafios do aquário plantado: manter seu delicado equilíbrio de forma que plantas e algas possam prosperar, sem que as segundas floresçam. Sim, plantas e algas, por que não importa o que você faça elas sempre estarão lá, esperando a hora oportuna para florescerem. 

fevereiro 02, 2012

Areia Cosmética


Típica areia de rio do Brasil?
A areia é um dos itens essenciais de composição do Nature Aquarium, sua utilização hoje extrapola a sua função primordial de substrato para fixação e suporte das plantas e para os demais elementos de composição do layout, como pedras e troncos. A areia nos mais diversos tons de cores naturais é hoje uma importante elemento de composição de um layout plantado. Na foto ao lado que se vê é a Mekong Sand da ADA que evidentemente seria confundida com nossa areia de rio em qualquer lugar.

Mas afinal, o que é Areia Cosmética?

La Plata Sand
Esse termo surgiu no Japão para designar as areias de cores diversas usadas na camada superior do substrato como elemento cosmético, ou seja, como elemento de composição do layout do Nature Aquarium, o termo foi cunhado pela ADA que é responsável pela popularização da técnica de composição de substrato com areias de cores diferentes.

Com o passar dos anos, e a introdução e domínio do padrão estético japonês no aquarismo plantado do ocidente o mundo foi apresentado as novas técnicas de produção de layouts, incluindo ai a elaboração do substrato, também foram surgindo opções diferenciadas de areias que tiveram sua função estendida: a areia tem função decorativa ou como lá se diz ela tem função cosmética na elaboração de um layout. Por aqui as novidades mais recentes, leia-se na ultima década, foram as areias de quartzo e o substrato de basalto.

Colorado Sand
As areias de filtro, como são popularmente conhecidas, são constituídas de quartzo que é um elemento neutro em relação ao pH do aquário, podem ser achadas com grãos em diversos tamanhos (são vendias por numeração, começa na 0 que é a mais fina e vai até a 5 que tem grãos bem grandes) além disso podem ser encontradas em diversas cores variando do marron claro, caramelo, branco, amarelo e até rosa ou roxo claros, cores típicas do quartzo. Nas duas imagens ao lado dois exemplos da ADA com aparência típica das areias de quartzo vendidas em qualquer loja.

O cascalho de basalto possui cor preta sólida e, como o nome sugere, é um cascalho de grãos relativamente grandes e irregulares. Também é inerte e não afeta o pH do aquário, empresta profundidade ao layout devido a sua cor bastante escura. É uma opção surgida para acalmar a febre de muitos que queriam alguma opção de substrato escuro, algo que pudesse ser visualmente parecido com os substratos estrangeiros de grãos escuros, como o ADA Congo Sand ou o Onyx SandFlourite Black da Seachem.

De acordo com a sua textura e cor a areia pode mudar completamente a atmosfera geral do aquário, areias de tons escuros são mais sóbrias e dão mais peso e profundidade a composição, areias de cores claras dão sensação de  frescor, suavidade e amplidão. Já as cores ocres em tons de amarelo e vermelho dão um toque de exotismo, calor e de natureza selvagem, mas claro os resultados podem variar de acordo com a utilização que se der a cada uma delas, por isso é muito importante o planejamento e a escolha adequada da areia que será utilizada a fim de não compromete o seu projeto.

No mercado nacional começamos a contar com opções industrializadas, já existem duas opções sendo oferecidas pela MBreda, sendo elas a BlackBlue de cor negra e a nova Nature Sand de cor marrom escuro que foi lançada no começo de 2012. São produtos industrializados onde o substrato é recoberto por uma película de resina resistente e inerte que proporcionam um acabamento suave e uniforme aos grãos. Confira:

BlackBlue vs Nature Sand
Areias cosméticas a disposição, já pode começar o seu projeto! ;)



Related Posts with Thumbnails