setembro 30, 2009

Nature Aquarium Calendar 2010

A ADA acabou de lançar a prévia do NA Calendar 2010, como de praxe, no site oficial da empresa. Tão bonito quanto os anteriores.



Confira as "folhinhas" do calendário no link abaixo, por enquanto apenas em japonês:

NA Calendar 2010

.

setembro 26, 2009

Clássicos: Elementos para composição do Layout.

Neste texto Takashi Amano explica quais e como utilizar os elementos comuns na elaboração de um aquário plantado.

Texto originalmente postado em 11 de junho de 2006.

Troncos e Galhos


Partes de árvores se deteriorando são facilmente encontradas em rios que passam por áreas arborizadas, e estas peças de madeira nos dão um senso de escala de tempo na natureza - o longo ciclo de viver-morrer-renascer do qual observamos breves fragmentos. Madeira apodrecida não é boa para qualidade da água, uma boa peça de madeira evoca um senso de tempo não humano. Na realidade, a madeira seca, parecendo fossilizada, pode nos dar uma forte impressão, esta qualidade pode nos inspirar durante o processo de criação do layout.

Disposição de Troncos e Galhos


Como flocos de neve, todo pedaço de madeira é diferente. Não há nenhum padrão definido para escolher um que seja perfeito. Porém, o primeiro aspecto a considerar é o tamanho. Pode ser melhor selecionar um ligeiramente menor do que você imaginou que precisaria, porque um tronco que é muito grande para um aquário assume e arruína o layout inteiro. Um que seja muito intricado também destoará do resto do aquário.

Há várias maneiras de planejar o uso de troncos. A primeira, selecionando um pedaço que seja atraente, ponha no tanque, e então construa o plano ao redor. Este normalmente é o modo como os novatos fazem. Outra opção é escolher primeiro a forma do layout, então procura-se uma peça que se encaixe. Profissionais normalmente seguem este caminho. Uma forma intermediaria seria escolher uma peça agradável, então tentar planejar o layout antes mesmo de levá-la para casa.

Os troncos devem ser colocados de forma que estes se apoiem contra a parede do aquário ou com várias ramificações sobressaindo. Isto dará mais dinâmica que a posição deitada, e até mesmo mais efetiva se o espaço atrás do tronco for aberto de forma a dar destaque.

Uma forma de dar vitalidade é plantar samambaias aquáticas, ou musgos, sobre o tronco. Esta é especialmente uma boa idéia ao usar um pedaço em cada lateral de um layout em forma de 'U' com ambos se alongando para o centro.

Ao usar um pedaço grande, no centro, como um toco de árvore velho, escolha um visual estável, e focalize a tensão criando uma composição dinâmica ao redor este centro quieto.

Pedaços longos, simples são bons apoios para pequenos montes de terra em planos triangulares. Tente coloca-los de modo a realçar suas linhas.

Revestindo Pedras e Troncos


Se pedras e troncos forem simplesmente colocados nus no aquário, eles tornarão o aspecto inicial muito cru. Parecerão antinaturais. Eles precisam ser vestidos a rigor com musgos ou samambaias de forma que eles se ajustem e pareçam envelhecidos.

Prenda musgo de salgueiro (Fontinalis) ou musgo de Java (Vesicularia) sobre as pedras ou troncos, colocando-os na superfície que será visível e prendendo-os firmemente com linha de algodão preta. O musgo por não ser tão grosso torna-se difícil de prender. Depois de um ou dois meses, a linha apodrece e solta-se, e o musgo já fixo se elevará em direção à superfície e continuará crescendo.

Outro método é inserir o musgo em rachaduras na madeira com um par de pinças. O resultado deve ser o mesmo mas o procedimento é mais demorado.

Para prender samambaias sobre os troncos, como Microsorium ou plantas como Anubias, que emitem raízes, use prendedores de plástico do tipo que são usadas para fechar sacos de lixo. Depois de um ou dois meses, elas devem ter estendido suas raízes na madeira. Cuidadosamente observe o quanto as raízes cresceram, e lentamente remova os prendedores quando estiver seguro.

Criando o Paisagismo Aquático


O estilo holandês de plantas aquáticas é baseado no senso estético Ocidental de formas ideais e simetria, enquanto o estilo natural transtorna o equilíbrio da composição intencionalmente e busca harmonia entre partes discrepantes.

Como eu [Amano] sempre enfatizei, a natureza é o melhor modelo para este estilo. A beleza em ordem que pode ser achada no caos de natureza se observada de perto e cuidadosamente é inacreditável. É [a natureza] a melhor mestra.

Criando o Primeiro Plano do Layout


Depois de desenvolver o olho observando a natureza, percebe-se que as plantas mais importantes em uma paisagem em miniatura são as plantas curtas, que chamaremos plantas de fundo. Estas compõem a base e preenchem o quadro. Layouts pobres normalmente são o resultado de um aquarista que não presta bastante atenção para as plantas de fundo, ou tem um modo antinatural de plantar.

Algumas das plantas comuns escolhidos como plantas de fundo são Echinodorus tenellus, Sagittaria subulata, Eleocharis, Glossostigna elatinoides, Cryptocoryne minima, C. rubra e C. nevillii entre outras.

Em tanques maiores, podem ser usadas algumas espécies que crescem um pouco mais altas, como E. Iatifolius, E. grisebachii, Anubias nana e C. wendti. Finalmente, é incomum, mas podem ser usados Riccia e musgo de Java que crescem em pedras ou madeira como plantas de fundo.

Plantas em Destaque


Plantas ligeiramente mais altas bem posicionadas no primeiro plano, com folhas de forma interessante amoldadas, como algumas de folhas largas tipo Echinodorus ou Anubias, no meio e fundo, pode emprestar para a composição inteira um senso de profundidade. Estas plantas conduzem o olho ao longo da composição aquática.

Naturalmente, o tamanho das plantas de fundo deverá varia entre um tanque de 60cm e um de 180cm , mas os tipos de plantas usadas como destaque também serão diferentes. Por exemplo, em um tanque de 60cm uma planta muito pequena como Glossostigma seria usada para a planta de fundo, e poderia ser realçado com Eleocharis que seria uma planta de fundo em um tanque maior no qual seria realçado por uma planta ligeiramente maior.

A única regra geral é não usar plantas longas como destaques, a menos que as folhas desenvolvam-se perto da base do talo. Considere que Cryptocorynes, Echinodorus, e Anubias estão todas disponíveis em tamanhos diferentes, elas são muito convenientes para uso como destaques.

Criando o Segundo Plano do Layout


O Segundo Plano termina o layout e define seu espaço. Em contraste com o primeiro plano escasso, o fundo é denso e dá para o aquário a aparência de selva.

Freqüentemente usamos no fundo plantas de caule longo, entretanto há exceções como Valisneria e Aponogeton. Há um número vasto de plantas aquáticas que podem ser usadas, mas algumas das espécies mais comuns são Mayaca, Alternanthera reineckii, Rotala macrantha, Rotala indica, Hygrophila corimbosa, Hygrophla polysperma, Ludwigia, etc.

Quanto maior a variedade de plantas em um aquário, mais natural irá parecer. As quantidades ideais variam de aproximadamente dez formas de folha diferentes e cores em um tanque pequeno, até cem em um tanque muito grande.

Plantas de folhas vermelhas são as flores do aquário, esteja seguro de satisfazer exatamente as exigências de iluminação e CO2 destas plantas de forma que eles possam apresentar as suas belas cores. Porém, estas plantas vermelhas devem ser usadas moderadamente, de modo que não subjugue o layout com sua cor e destruam o refinamento.

setembro 24, 2009

Clássicos: Ponto Focal e Tipos de Layouts

Este é um dos primeiros textos de Takashi Amano sobre a importância da proporção dentro do aquário e sobre os tipos básicos de layouts para aquários plantados. Foi traduzidos inicialmente do japonês para o inglês.

Texto originalmente postado em 11 de junho de 2006.

Proporção e Ponto Focal


Quando se lê sobre composição em um texto ou livro de arte, há uma certa confusão sobre figuras geométricas e seus valores, o que assusta muitas pessoas. Mas a composição não é tão difícil de compreender. Em tudo o que está a nossa volta a composição é projetada com cuidado, dos pacotes de cigarro aos cartões postais, as portas da sala, todos são projetadas para agradar ao olho humano.

Para fazer isso, a maioria confia em uma relação simples chamada comumente de 'Proporção de Ouro'. Quando se quer colocar uma rocha de rio em um tanque de 120cm, por exemplo, a maioria das pessoas não a poria no centro. A colocariam um pouco para a direita ou para a esquerda, e isto é paradoxalmente mais equilibrado e mais atraente a nossa sensibilidade estética.

A melhor posição, da forma como as pessoas percebem como a mais equilibrada, é conhecidade desde a antiquidade - a relação de 1:1,618 é a 'Proporção de Ouro'. Esta é a razão que há entre duas seções de uma linha, a menor está para a maior de forma que o maior seja a soma dos dois na fração 3/5.

As pessoas que tem experiência com projetos não necessitam preocupar-se com a Proporção de Ouro, vem-lhes naturalmente. Claro que, também seria uma boa idéia desviar-se da 'Proporção de Ouro' e fazer experiências com as relações que parecem desequilibradas, injetando desse modo uma certa tensão na composição.

Os americanos referem-se a 'Proporção de Ouro' como ponto focal do layout.

Leitura Extra:

A proporção de Ouro


Conhecida desde a antiguidade a proporção de ouro refere-se a uma razão a qual o nosso cérebro reconhece como sendo extremamente agradável e estética, esta razão é expressa por 1:1,618. Para usar a razão no nosso layout e definir o ponto focal onde colocar uma rocha, por exemplo, basta efetuar uma cálculo muito simples:

Comprimento / 2,618 = Ponto Focal

Se o seu tanque tem 100cm então 100 cm /2,618 = 38,19 cm, então o ponto focal do tanque será a 38,19 cm para a direita ou para a esquerda.

Vale lembrar que nosso cérebro, de modo inconsciente, 'lê' tudo da esquerda para direita, desta forma convêm esteticamente procurar valoriza o lado esquerdo da montagem. Portanto o ponto focal do nosso exemplo a ser utilizado deverá ficar a 38,19 cm a partir da lateral esquerda do aquário.

A Importância do Espaço


Na pintura, na arquitetura, na fotografia, e em todas as artes, o uso do espaço é de prima importância. O espaço existem e serve como importante ferramenta nas artes assim como a natureza faz, na uniformidade de uma densa floresta. Dependendo das circunstâncias ecologicas e meteorológicas, estes espaços podem ser muito bonitos. Mas os aquaristas têm que criar suas próprias circunstâncias.

Layout Triangular


Todos os tipos de triângulos equiláteros, escalenos, isosceles e irregulares podem e devem ser usados nos layouts.

Os triângulos podem ser usados para definir a disposição das plantas, dos troncos e das rochas, da areia, em todas as direções e diferentes ângulos de visão. Quando nós consideramos este fato, poderemos observar o tanque de lados diferentes, nós fazemos com que o próprio aquário seja uma forma relativamente nova e complexa da arte.

Para a disposição triangular básica, divida o lado do aquário com uma linha diagonal de modo que haja dois triângulos. A base da areia inclina-se para cima, assim é mais rasa na parte dianteira, elevando-se gradualmente para trás. Quando visto dos lados, a seção dianteira mais baixa do triângulo inferior será composta com plantas pequenas, e a seção traseira mais elevada por plantas altas. A altura crescente das plantas formará uma linha diagonal invisível dado forma ao perímetro do triângulo.

Layout Ilha


Este layout é produzido colocando-se troncos, rochas e plantas altas no centro do aquário e deixando um espaço circular como perímetro.

Está é uma montagem relativamente simples de se realizar mas que requer alguma tecnica para sua execução. Um bom resultado será obtido posicionando-se as peças ligeiramente fora do centro do aquário.Tanques compridos são melhores para este layout, alguns tamanhos sugeridos: 60x45x30cm, 90x60x45cm, 120x60x45cm

Layout em U, V ou Espelhado.


A idéia desta composição é criar uma espécie de reflexo de um dos lados do aquário. Troncos, rochas e plantas altas são dispostas nas laterais e a área central permanece livre.


Os dois lados não devem, no entanto, ter o mesmo tamanho, mas devem variar nas proporções de 2:1, 3:1 ou ainda na razão da Proporção de Ouro, ou seja 1:1,618. Este layout é ideal para tanques mais longos, 180x60x60cm por exemplo, e dos layouts básicos é o mais fácil.

Em breve: Elementos para composição do layout.

setembro 22, 2009

Clássicos: O desenvolvimento de um projeto aquático

Texto escrito por Takashi Amano, tradução minha.

Originalmente postado em 11 de junho de 2006.

Introdução



Como em todo projeto criativo há um forte elemento estético envolvido no layout de aquários plantados, o que torna muito difícil definir qual o melhor estilo a ser adotado. Mas não importa o quão artisticamente o layout seja definido se as plantas não parecerem saudáveis ou se as algas bloquearem a visão do aquário, esta não será de forma alguma uma boa visão. De outro modo, até mesmo um aquário sem qualquer definição artistica terá algum apelo se as plantas parecerem saudáveis e estiverem florescendo. O 'estado de arte' de um bom layout está diretamente relacionada as boas condições das plantas.

Atualmente, existem dois estilos básicos de disposições de plantas aquáticas. Um é baseado em jardins, e o outro baseou-se na natureza. O primeiro tipo, conhecido extensamente como Estilo Holandês, imita a ordenação de uma jardineira de flores, organizada pelo tamanho e pela cor das flores. As plantas de caules longos são usadas freqüentemente, as plantas aquáticas são plantadas e ordendas de forma estruturada. Um jardim de tulipas é um exemplo típico deste estilo.

O estilo natural (Nature Aquarium) é mais difícil de se estabelecer, porque pessoas diferentes focalizam aspectos diferentes da natureza. A única coisa que todas as técnicas, que estão sob este título, têm em comum é o fato de que foram aprendidas com o observar das plantas em seu estado natural, e fazendo exames das sugestões da própria mãe natureza.

Há, entretanto, uma idéia fundamental compartilhada entre estes dois estilos que são: o amor e o cuidado do aquarista, que é visível no produto final. As competições de layout de plantas aquáticas têm-se tornado populares ultimamente e a qualidade do trabalho está aumentando nitidamente. Nos melhores procura-se sempre expressar algo sobre o espírito individual do criador.

Talvez a forma mais adequada de melhorar um trabalho deva ser expor-se regularmente a uma grande variedade de influências: paisagens, jardins japoneses, pinturas, fotografias, música etc.. O povo japonês foi abençoado com uma terra de grande beleza natural. O Japão é uma tira longa e encurvada com muitos climas distintos e abrange muitos tipos diferentes de geografia. Os japoneses têm uma tradição longa e própria de extrair a beleza da natureza para o uso nas artes e na vida diária. Esta tradição é uma mina de ouro para os aquaristas, se eles tão somente 'virem' realmente o que eles observam.

Uma outra qualidade muito importante do bom Jardineiro Aquático é a flexibilidade. Se não houver tempo o bastante para o trabalho, ou se não houver inspiração, o artista não a força, mas preferivelmente, espera o momento certo. O mesmo em relação as finanças: se o tanque desejado parecer muito caro, defina um mais barato. Então haverá bastante dinheiro para futuros acessórios. O aquarista necessita conjugar tempo, dinheiro, e sobretudo: espírito. Nada deve ser apressado ou forçado. Estamos falando sobre a criação como lazer.

A natureza terá um apelo diferente quando se reservar o tempo de lazer para ela. Quando você está apressado para o trabalho, a chuva é um incômodo, mas se você tiver momentos quando poderá observar pequenos detalhes verá que há algo de mágico em ver a cidade vazia no meio da noite. O poder da observação é importante. Quanto você observa? Quanto você lembra do que você vê na natureza? Os detalhes que você observar e lembrar terão grande influência em qualquer forma de expressão, seja na pintura, fotografia, ou simplesmente no Aquascaping. 
Em breve: Proporções e Tipos de Layout.

setembro 18, 2009

Clássicos: Princípios e Técnicas Nature Aquarium

Mais um item recuperado do site antigo. Aos poucos devo conseguir postar mais algumas coisas interessantes.

Mensagem originalmente postada em 10 de fevereiro de 2008.

O estilo Nature Aquarium segue alguns princípios próprios, nem sempre tão evidentes, mas que ajudam muito na elaboração de um projeto, então nada melhor que relacionar os principais pontos de atenção que o aquarista deve se ater, esta seleção de dicas foi compilada pelo próprio Takashi Amano em sua preleção na convenção anual da AGA em 2004.

PRINCÍPIOS

  1. Plante grupos e em números ímpares.
  2. Plantas com folhas finas ficam melhores do meio para o fundo do tanque, enquanto as de folhas grandes ficam melhores nos cantos.
  3. Não use plantas vermelhas no centro, elas parecem muito escuras e pesadas.
  4. Plantas de folhas escuras (vermelhas ou verdes) ficam melhores nos cantos e atrás, com plantas de cores mais claras no centro.
  5. Arranje as plantas e as rochas e troncos para ter um equilíbrio entre áreas bem iluminadas e escuras.
  6. Areia de cor clara tem um excelente contraste com a cor das plantas.
  7. Quando usar rochas misture tamanhos variados, grandes e pequenas, como ocorre na Natureza.
  8. As bordas das rochas devem ser arredondadas, sem arestas afiadas.
  9. Esconda suas intenções ao usar rochas, permita que elas sejam ocultas pela vegetação, parcialmente ou mesmo completamente.
  10. Layouts usando a frente limpa, só com areia, são uma boa alternativa aos layouts Nature Aquarium padrão, com um carpete cobrindo toda a frente do tanque.
  11. Uma boa alternativa de layout é criar ladeiras em ambos os lados do tanque descendo em direção ao centro.

TÉCNICAS

  1. Use linha de algodão para fixar o musgo em pedras ou troncos.
  2. Musgos amarrados em pedras são uma ótima alternativa para cobrir áreas de substrato limpo.
  3. Use troncos ou grandes pedras com musgo, permitindo que a vegetação cresça em volta para criar áreas escuras em contraste com as claras.
  4. Prenda Anubias em rochas com musgos usando ligas de borracha, corte quase todas as raízes para que se fixe rapidamente.
  5. A Anubia presa a rocha pode ser movida a vontade, posicione a rocha de modo que as raízes sejam escondidas. Lembra-se que elas crescerão em direção luz.
  6. Plante Cryptos em locais onde o substrato seja profundo.
  7. Use plantas de caule de tamanho diversos, graduados da frente para o fundo do aquário, das mais baixas para as mais altas. Plante 3 mudas de juntas de cada vez.
  8. Um tanque novo não deve ser podado antes de 3 meses.
  9. Espere até que as plantas cresçam até o alto para então poda-las na metade da altura.
  10. Anubias e musgos ficam bem para frente do tanque por não precisarem de podas constantes.
  11. Colocar os equipamentos e tubulações que precisam ser usadas no tanque nas paredes laterais faz com que elas se tornem menos visíveis, devido ao reflexo das laterais.
  12. Para criar substratos usando areia de duas cores diferentes utilize um pedaço de papelão ou plástico, separe as áreas, preencha com a areia, nivele ambos os lados para ficarem da mesma altura e então retire o papelão com cuidado.
  13. Use troncos ou rochas com musgo no meio do substrato inclinado para funcionarem como barreira e impedir que o mesmo deslize.
  14. Ao usar substratos de cores diferentes as rochas ou troncos também podem ser usados para esconder a linha de separação entre eles.
  15. Iluminação traseira de baixo para cima destaca o movimento da água na superfície.
  16. Para um layout realmente simples use pequenas pedras e musgos ao redor de uma grande rocha ao centro.
  17. Conjuntos de galhos cobertos de musgos podem causar um belo efeito quando preenchem o tanque, feito adequadamente com inclinações subindo do fundo para frente ou do meio para os lados, em ascensão.
.

setembro 16, 2009

International Aquatic Plants Layout Contest 2009

No próximo dia 17 de de outubro a ADA estará realizando a entrega oficial da premiação do International Aquatic Plants Layouts Contest 2009, em festa a ser realizada em Tokyo. Devem comparecer aquaristas de todo o mundo para prestigiar o evento. Mesmo sendo expressamente proibida a divulgação das fotos concorrentes por seus proprietários não é impossível acha-las na internet, afinal é uma tarefa inglória policiar tal proibição, além de que o pessoal da ADA tem muito aquário para cuidar ao invés de ficar navegando na rede. ;-)


Mais informações sobre a festa no site oficial.

Alguma alma caridosa compilou um vídeo com fotos dos classificados do IAPLC 2009, segue o vídeo:


Mas se o seu negócio é imagem mesmo, então este é o melhor lugar, uma postagem enorme e que demora um tempo para carregar por que tem uma quantidade enorme de imagens de participantes do IAPLC 2009: Algunos clasificados que destaca Acuario rosa del IAPLC. Estou outro post lista somente os participantes Poloneses, clicando nos nomes abre a imagem do aquário: Wyniki The International Aquatic Plants Layout Contest 2009 – Miejsca Polaków. A turma que fala Russo está aqui, são mais de 10 páginas com muitas fotos. O pessoal de Singapura, que sempre mandam muito, estão aqui. Dá para se divertir um bocado com estes links.

Para quem não viu ainda, ai está o vídeo do IAPLC 2008, em tempo, clicando no vídeo, que na verdade é um slide show, você irá para página da foto:



I.A.P.L.C 2008

I.A.P.L.C 2008

setembro 11, 2009

Segredos do Iwagumi

O Iwagumi é a técnica mais admirada dentro do universo Nature Aquarium, se não seu próprio âmago, mas também e de longe a menos compreendida. Eventualmente a ADA publica em suas revistas guias e artigos elucidativos da técnica, infelizmente a maioria destes textos passa em branco para os ocidentais, uma vez que raramente são traduzidos para outras línguas.

Este artigo não tem pretensão de ser nenhum guia ilustrado, apenas pretendo jogar um pouco de luz sobre o assunto, principalmente para quem está começando e acha que Iwagumi é um bicho de 12 cabeças, não é não! São só 7. ;-)

O Iwagumi, grosso modo, é um conjunto de pedras organizadas segundo alguns princípios estéticos, este conjunto tem  por fim criar uma atmosfera equilibrada, as vezes dramática, que acrescente valor a composição do layout. Como vários outros aspectos do Nature Aquarium, o Iwagumi é baseado na observação da natureza, onde cada elemento respeita as leis naturais que compõem qualquer paisagem em qualquer lugar do mundo. 

Um Iwagumi precisa seguir alguns parâmetros, entre eles:
  • Sintonia do conjunto: As rochas precisam ter padrão, cor e textura similares. Pedras de cores, textura e padrões diferentes causam desarmonia.
  • Equilíbrio: Com raríssimas exceções encontramos pedras na natureza em situações que desafiem as leis da física, ou seja, as pedras tendem naturalmente a estar bem apoiadas no substrato. O centro de gravidade das pedras deve ser sempre o mais baixo possível, isso cria uma sensação de peso e firmeza que será notada no conjunto. Por isso evite inclinações acentuadas e improváveis.
  • Proporcionalidade: Pedras grandes do mesmo tamanho não montam um bom conjunto, nem somente pedras pequenas. Um mix de pedras de vários tamanhos, desde que respeitada a sintonia entre eles, será adequado para a criação do seu layout. Observe a natureza, grandes pedras, apoiadas em pedras menores e pequenos pedregulhos em volta.
Uma vez tendo em mente estes princípios podemos nos voltar a elaboração do layout posicionando as pedras, mas até aqui temos mais alguns princípios a seguir.

 

O conjunto acima é um exemplo clássico de Iwagumi, inclusive a imagem é do guia da própria ADA. Todos os elementos principais da técnica estão representados, vou tentar apresenta-los. Todo Iwagumi começa com seu elemento principal, aquele que será o ponto focal do conjunto, geralmente o maior elemento da composição. A Pedra Principal [1], na imagem acima, está estrategicamente disposta no ponto focal do aquário, este ponto é facilmente determinado dividindo-se o comprimento do aquário por 2,618, o resultado desta divisão será o ponto onde deveremos posicionar o elemento principal. A forma como esta pedra é posicionada, assim como a sua inclinação, definem muito do que será o layout. O Conjunto é balanceado por duas pedras laterais, a primeira grande Pedra Lateral [2] é  posicionada em oposição a pedra principal, sendo complemente pela segunda Pedra Lateral [3] que dá balanceamento a composição ao compor uma tríade com as outras duas pedras. A tríade é uma composição estética clássica. Para finalizar suavemente a composição são usadas duas outras pedras menores, as Pedras de Suporte [4,5] que dão suporte as pedras laterais, criando assim uma atmosfera de naturalidade.

E é assim que nasce um Iwagumi, todos os demais arranjos são implementações destes mesmos princípios básicos, imaginação, treino e perseverança ajudam.

Espero ter contribuído um pouco para dissipar um pouco a névoa que paira sobre o assunto, e quem sabe encorajar a algum leitor a enfrentar este delicioso desafio. Boas montagens!

.

Novos aquários ADA são mais transparentes

Algumas pessoas já havia notado e comentado, mas não tinhamos certeza. Agora temos. A ADA realmente mudou o tipo de vidro usado nos seus aquários, antes o vidro tinha tom esverdeado, como o nosso. Mas os lançamentos recentes, como o stand completamente de vidro na foto ao lado, estão trazendo um vidro bem mais claro e cristalino, evidenciando uma mudança na produção.

A ADA passou a fabricar seu aquários e móveis usando vidro com baixo teor de ferro, isso torna o vidro mais cristalino e transparente, eliminando a cor esverdeada que estamos acostumados a ver. Tecnologia é isso ai, não é que seja uma inovação, afinal vidro com baixos teores de ferro estão ai no mercado para quem tiver coragem
puder pagar por ele, mas é uma novidade e tanto.

A informação foi confirmada no site da ADA Sigapura. Veja na imagem promocional abaixo a diferença entre o vidro usado antes e o novo vidro com baixo teor de ferro:



.

Dica: How to Layout-Making Manual

Informação custa cara, livros custam caro. Então nada melhor que boa informação de fonte segura e de credibilidade, não é mesmo? Então que tal um manual básico de aquascaping da própria ADA? E se ele for de graça? Então, pega o seu, pois o download é "de grátis". O link:

Pode mandar o link para o primo, vizinho, cunhado, cachorro e papagaio.

.

Bubbles Aquarium

De alguma forma misteriosa eu consegui recuperar alguns milhares de links favoritos que eu pensava estarem extintos para sempre, sorte que não, embora alguns não funcionem mais. De qualquer modo tem coisas bem interessantes como essa galeria de fotos de 2007/2008 com algumas montagens fantásticas!

Dica: Clique nas imagens para abrir a ficha completa do aquário e mais uma porção de fotos da montagem. Muito bom! Link:


De brinde algumas fotos só para dar água na boca:

 
  
  

Clássicos: Cachoeira dentro do aquário!

Aquarium Sand Waterfall
Artigo postado originalmente em 28 de setembro de 2007.


O aquário ao lado foi classificado entre os melhores do IAPLC 2007, International Aquatic Plant Layout Contest, com um efeito muito diferente: Uma cachoeira de areia (sandfall). É isso mesmo, uma cachoeira real de areia dentro do aquario, veja a imagem ao lado, interessante não? Em termos de impacto o efeito deste aquário só sé comparável ao aquário "Pinheiro Manso", com um bonsai dentro do aquário,  que o Felipe de Oliveira criou e comentei a pouco tempo, algumas postagens mais abaixo. Veja o vídeo da cachoeira em pleno funcionamento:


Ao mais afoitos tenham em mente que este é um recurso de paisagismo que exige disposição e experimetação, afinal não há um kit de cachoeira disponível para você instalar, ela terá que ser criada do zero. Não há muito controle sobre o funcionamento do projeto, é  preciso ter cuidado com o volume de areia, o funcionamento da bomba, a limpeza da areia, etc, etc, etc... Obviamente também não é algo que seja funcional para ficar rodando 24h no seu aquário. É um recurso curioso, exótico e que chama muita atenção, pode ser um recurso interessante para uma feira ou exposição, certamente não vai faltar gente pra ficar babando na frente da sua cachoeira.

Exemplo muito bem elaborado.

Você vai precisar de cano, mangueira fina, adesivo, alguma ferramenta de corte, e perfuração folhas de material plástico, areia fina de silica ou quartzo, um pouco de imaginação e disposição.

Conceito: A areia é lançada dentro de um tubo e impulsionada por uma corrente de bolhas ascendentes até o topo do tubo onde há uma abertura, as bolhas seguem para superfície e a areia, por força da gravidade, cai em direção a um prato de captação onde é jogada novamente dentro do tubo com a corrente de bolhas ascendentes.
  1. Selecione um tubo qualquer na altura desejada para o seu aquário, como você precisa esconder o aparato todo é bom pensar em algo desde já, será necessário fazer duas aberturas na lateral do cano, uma na parte inferior e outra na parte superior [imagem 1]. A abertura superior irá conduzir a areia para queda, a inferior irá captar a areia que cai, faça as devidas adaptações para os orifícios [imagem 2].
  2. A areia que cai precisa ser captada e um aparato em forma de prato cumpre este papel, o tamanho do prato de captação vai variar em razão do tamanho de todo o projeto, volume de areia usado, bem como da potência da bomba, você vai precisar testar alguns tamanhos para decidir o mais adequado para o seu projeto [ imagem 3].
  3. O fluxo de ar na base do cano gera a corrente ascendente de bolhas, providencie a adaptação da mangueira da sua bomba de ar, um cap perfurado deve resolver o seu problema facilmente [imagem 4].
  4. Observe a aparência do acabamento do projeto [ imagem 5 e 6] , o orifício de saída da areia e o prato de captação na base. Ligue sua bomba e acrescente a areia para verificar o funcionamento do aparato, faça os ajustes e regulagens necessárias [imagem  7].

setembro 10, 2009

Boa leitura

Olá, as custas de um belo resfriado estou de molho em casa, aproveitando o excesso de tempo livre fui folhear uns livros relacionados ao hobby, percebi que faz tempo que não compro um bom livro de aquarismo ou relacionado, então fui pesquisar e ver o que poderia achar de interessante. E achei!
 
Eu escuto muita, muita gente reclamar que não há livros bons de aquarismo, o que muita gente diz nas entrelinhas desta reclamação é que não há livros muito específicos, não havia, por que hoje há o excelente livro do Rony Suzuki e Maurício Xavier: Aquapaisagismo. Este eu já tenho e por sinal foi rapitado e está a 300km da minha estante, mas sendo util e isso é o que importa. Se você não conhece ainda você não sabe que está perdendo o melhor livro específico de aquarismo editado em língua portuguesa. Encontre aqui.
 
Bom, mas o aquarismo é um hobby multidisciplinar, então você que quer se aprofundar na área pode e deve procurar títulos que complementem seu conhecimento, a internet é uma fonte inesgotável de conhecimento, mas nada como ter um bom livro nas mãos. Selecionei alguns títulos que já estão na minha lista de aquisições, são eles:
 
ALGAS
Autores Iara Maria Franceschini, Ana Luiza Burliga, Bruno de Reviers, João Fernando Prado & Sahima Hamlaoui - Ed. Artmed 2010 332p
Algas: uma abordagem filogenética, taxonômica e ecológica foi elaborado para suprir a carência de literatura em língua portuguesa sobre o tema, reunindo informações úteis a todos aqueles que se interessam pelo assunto. Achei aqui.
 
Peixes de Água Doce da Mata Atlântica
2007 408p.:il MZUSP (Português / Inglês)
Naércio A. Menezes - Stanley H. Weitzman - Osvaldo T. Oyakawa - Flávio C. T. de Lima - Ricardo M. C. Castro - Marilyn J. Weitzman

A obra faz um mapeamento da diversidade de peixes encontrados na mata atlântica. Lista 309 espécies, a maioria das quais encontrada apenas neste ecossistema. Traz dados sobre a distribuição geográfica e aspectos ecológicos das espécies, além de um grande conjunto de imagens. Achei aqui.
 
Simpsonnichthys e Nematolebias       
Dalton Nielsen et al.
Os Simpsonnichthys e as Nematolebias são considerados os mais belos peixes de água doce, chegando a concorrer com os peixes marinhos de corais. Sobrvivem em ambienetes aquáticos temporários, que permanecem secos metade do ano... mas como conseguem sobreviver em um ambiente tão inóspito? Para isso estes peixes desenvolveram uma estratégia reprodutiva... Achei Aqui.
 
Peixes de Riachos da Mata Atlântica
Peixes de Riachos da Mata Atlântica é o resultado de um projeto de pesquisa desenvolvido durante dois anos em Unidades de Conservação no Vale do Rio Ribeira de Iguape. As informações contidas vêm preencher uma lacuna no conhecimento dos animais que habitam esse ecossistema.
Neste livro estão caracterizadas e fotografadas 73 espécies de peixes, revelando-se uma inestimável riqueza. Achei qui.
 
Espero que seja um pontapé para alguém começar a se aventurar neste mundo incrível e surpreendentemente rico: a Leitura! Divirtam-se.

setembro 09, 2009

Construção de Aquários

O artigo deste link é exatamente o que o título diz, um artigo muito bem ilustrado de como proceder para construir um aquário.
Observe que não é um artigo sobre montagem de aquários [substrato, luz, etc...], o artigo ensina como colar de maneira profissional um aquário de vidro, dá dicas de como construir um suporte e muito mais.
Apesar do artigo estar em italiano é possível acompanhar o passo a passo pelas imagens muito detalhadas, sendo que qualquer pessoa com aptidão para trabalhos manuais será capaz de entender. Link abaixo:
Mãos a obra.

setembro 08, 2009

Iwagumi Challenge 2008

A ADA Party 2009 se aproxima, logo mais os felizes convidados do evento estarão comendo, bebendo e comemorando os resultados do maior concurso de aquários plantados do mundo. Mas a festa não se resume em levar todo mundo para um hotel e encher a cara de saquê, sim, também, mas rolam outras coisas legais como, por exemplo, a oportunidade de conhecer pessoalmente os feras mundiais do aquascaping e de brinde  ainda assistir umas aulinhas do mestre Amano em pessoal, o azul claro da foto ao lado.
 
O Iwagumi* Challenge faz parte da programação, o evento é bastante simples: junte uma porção de aquaristas e mande eles fazerem um esboço ao vivo e em 3D, ou seja, de verdade, daquilo que eles mais gostam de projetar: Layouts de aquários com rochas. O juri é implacável, os próprios convidados, e o mestra Amano em pessoa faz correções nos layouts [aqui no Brasil ia sair gente com passagem para o analista para tratar o trauma por tamanha heresia, claro].
 
No site da ADA é possível ver fotos do evento e até fotos dos Iwagumis antes e depois do mestre Amano botar a mão.
*Iwagumi é uma técnica japonesa que consiste na utilização harmoniosa de rochas a fim de se obter um cenário submerso que seja equilibrado e natural, sua inspiração vem da observação da própria natureza, sendo portanto uma forma de reprodução da mesma.

Aqualize

Aquarismo inovador e responsável.
Este é o mote do site que acabei de conhecer, linkado no NatureAqua. O Aqualize já agradou de cara e seguiu agradando pelo conteúdo bastante informativo e diversificado, parabéns aos responsáveis pelo site, belo trabalho.
  • Aqualize, aquarismo responsável e inovador.
Em tempo, achei interessantíssima a notícia sobre o recém descrito Tetra Yin-Yang, fotos no link, se pelo menos ele chegasse até nós pobres mortais. Ah! E se você é novato no mundo do aquascaping e quer saber um pouco mais sobre um tal de Takashi Amano aproveite, o site tem um artigo sobre o dito cujo que chamam de mito.

Bonsai no Aquário

Pinheiro Manso por Filipe Oliveira
Sim, um Bonsai no aquário é possível!

Ou pelo menos algo muito parecido com isso. Nosso colega português Felipe Oliveira, mais conhecido como FAAO, é o autor da façanha da foto ao lado. Não que a idéia seja novidade, muita gente já pensou/pensa em algo do tipo, mas até o Felipe ninguém havia chegado a um resultado tão fantástico. As fotos falam por si.

O aquário foi montado em 2008, recebeu o título de Pinheiro Manso, faz sentido. Ganhou vários prêmios e foi destaque mundo a fora. Você pode conferir mais fotos e detalhes da elaboração deste minucioso trabalho no blog do Felipe, link abaixo:
Como criar um Bonsai dentro do aquário?

Filipe descreveu em seu blog o passo a passo para criar esse espetacular Bonsai aquático, você pode clicar no link acima e ler o artigo completo. 

Algumas dicas:

  • A planta usada para formar a copa da árvore foi a Vesicularia dubyana, ela é um musgo e existem vários musgos que podem ser cultivados em aquários, porém vale salientar que a Vesicularia dubyana verdadeira tem um padrão de crescimento triangular em seus ramos, isso ajuda no efeito final da copa. Infelizmente musgos não são a coisa mais fácil de se identificar, então esteja certo de que a espécie é a correta adquirindo suas plantas de vendedores responsáveis e confiáveis.
  • Procure um galho que possua muitas ramificações, quanto mais ramificado melhor, corte os ramos do galho para dar a forma aproximada que deseja para a copa da árvore, isso vai ajudar tornando possível usar uma quantidade de musgo maior dividido em muitos galhos, os muitos ramos vão preencher melhor o volume da copa do que poucas porções em poucos ramos, pois o espaço que o musgo terá que crescer para preencher será muito maior.
  • Os musgos tem um crescimento inicial muito lento em relação a plantas superiores, por tanto é preciso ter em mente que a evolução do layout será lenta, além disso eles não possuem raízes e se fixam sobre as superfícies usando rizóides, que são folhas adaptadas a função de fixação, mas isso leva muito tempo para acontecer, portanto o musgo a princípio precisa ser fixado nos ramos, use linha de algodão na cor verde para amarrar o musgo aos ramos da árvore, com o tempo ela será consumida pela flora bacteriana, mas até lá o musgo já terá fixado. Não economize linha e prenda com firmeza.
  • Outra dica importante: com o tempo e boas condições o musgo cresce e começa a ficar cada vez mais volumoso, se você deixar o musgo crescer demais sem podas os ramos inferiores vão deixar de receber luz e morrer, isso fará com que porções inteiras do musgo se desprendam dos galhos, levando semanas de trabalhos literalmente por água abaixo.
  • As plantas usadas pelo Filipe para formar o carpete do aquário foram a Utricularia graminifolia, Eleocharis parvula. São duas plantas que exigem uma iluminação mais forte, você precisa posicionar sua iluminação de forma que as plantas logo abaixo da copa da sua árvore não fiquem completamente na sombra quando o musgo começar a criar volume. Uma opção a se pensar é usar a região sombreada como uma área de substrato desprovida de plantas, só areia limpa.
A foto do passo a passo postada pelo Filipe é bem clara, observe quadro a quadro com atenção:

Pinheiro Manso Passo a Passo

Espero que as dicas sejam uteis para você.

ATUALIZAÇÃO: Em 2011 o Filipe criou um novo layout com o mesmo conceito, só que no lugar do musgo ele usou Anubia nana para formar a copa da árvore. Confira o vídeo do aquário com pouco mais de um mês de evolução, mas já bastante atraente.



Layouts Diversos #1

Depois de muito tempo parece que finalmente o povo que adora postar fotos de aquários pelos fóruns da vida descobriram que o Flickr existe, já é possível encontrar muita, muita coisa boa no site de compartilhamento de fotos. Falta de inspiração é uma desculpa mais que furada hoje em dia, portanto arrume outra.
A foto ao lado faz parte deste set:
Simples, bonito e eficiente.

Tropica Aqua Cube Iwagumi

O Tropica Aqua Cube, como o nome indica, é um aquário de design exclusivo da Tropica, se não a maior, pelo menos a mais famosa produtora mundial de plantas aquáticas. Pois muito bem, alguém pegou o aquarinho e fez algo bem legal:
Ficou muito bom.
Link por Erivaldo Casado.
Related Posts with Thumbnails