junho 28, 2012

Técnica: Dry Starting


A grande maioria das plantas aquáticas que usamos em nossos aquários são na verdade plantas hidrófilas, ou seja, elas se desenvolvem emersas e podem ser adaptadas a vida submersa, estas plantas naturalmente ocorrem em locais onde estão sujeitas a períodos de seca e cheia, onde o ambiente sofre essa alternância duranta as estações. 

Hardscape quase pronto já com musgos.
Notadamente as plantas tendem a se desenvolver muito mais rapidamente na sua fase emersa do que na fase submersa, uma característica que recentemente passou a ser aproveitada na elaboração de aquários através da técnica chamada Dry Starting, ou Início Seco em tradução livre. Algumas plantas como musgos, as Anubias e as Microsorum são conhecidas pela lentidão inicial do seu desenvolvimento em aquários, mas estas plantas tem um desenvolvimento relativamente mais rápido quando emersas, assim como outras espécies.

Plantas emersas com crescimento vigoroso.
Tenho visto pelos fóruns internacionais uma ou outra experiência, mas nenhuma me chamou tanta atenção como a do aquascaper Just Willy que postou no seu perfil do Facebook algumas fotos atuais do aquário que foi iniciado utilizando esta técnica.


Em um tópico no PlantedTank.net, que já conta com mais de 10 páginas, documenta todo o setup e desenvolvimento do tanque até a foto acima que é uma das mais recentes, como podemos ver o resultado é impressionante. 

Confira! Vale a leitura.



0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigado por comentar!
Todos os comentários serão lidos e só então aprovados para publicação, ou não.

Related Posts with Thumbnails