dezembro 29, 2010

The Plant List

"Conhecer para preservar, preservar para conhecer."

Uma força tarefa conjunta de botânicos dos Estados Unidos e da Inglaterra reuniram em um só banco de dados mais de 1,5 milhões de nomes botânicos de espécies vegetais, é o maior banco de dados específico do mundo, agora disponível para quem quiser consultar via internet.

T. barbieri - foto: aquamoss.net
Este é um site valioso para todos aqueles que estudam plantas, afinal a classificação das espécies é um dos grandes desafios da ciência e a quantidade de classificações erradas e sinônimos assusta qualquer pessoa, uma ferramenta deste porte vem em auxílio justamente neste ponto. Além de disponibilizar links para informações disponíveis em outros locais na internet.

Você sabia que Isopterygium barbieri é sinônimo do Taxiphyllum barbieri? ;-)


As consultas podem ser feitas por gênero, espécie ou ambos.

dezembro 24, 2010

Desejamos a todos

dezembro 17, 2010

Como lidar com problemas na Filtragem

Final de ano super complicado, pelo menos pra mim, as coisas estão a 1000 por hora, então as coisas estão meio paradas por aqui. Minhas desculpas.

Como lidar com problemas na filtragem, click na imagem.
A ADA acabou de atualizar o Aqua Journal com um artigo muito interessante sobre atenção e manutenção dos filtros, algo muito importante pois a filtragem é o coração de qualquer aquário. Claro que o artigo é direcionado a linha de filtragem da ADA, mas o artigo tem dicas que se aplicam para qualquer filtro, independente do fabricante. Vale uma leitura cuidadosa, e se você não domina o inglês ainda o Google Translate dá uma ajuda essencial, apesar de não ser nenhuma Brastemp.

Ah, mais uma coisinha, o Xylema está disponível em versão mobile, para celulares, agora é automático acessando o site de qualquer dispositivo móvel, se quiser conferir é só clicar aqui ou na opção Mobile do menu superior da página.

dezembro 08, 2010

Rapidinha

E agora, Sr Google Translate? :D


dezembro 07, 2010

Hungarian Aquascaping Contest 2010 Results


O HAC 2010 liberou o resultado do concurso e o site já está atualizado com as imagens das montagens dos participantes. A galeria tem excelentes trabalhos, vale muito uma longa e demorada apreciação. 

Clique para acessar a galeria
O que mais adoro na popularização dos contests mundo a fora é justamente poder apreciar excelentes trabalhos de todos os lugares do mundo, é uma grande fonte de pesquisa.

ASE 2011


O Aquatic Scapers Europe 2011 já iniciou seu período de inscrição, portanto se você pretende participar é bom ficar atento, pois a data limite é 15 de fevereiro. Este ano o Brasil participará do concurso de uma forma muito especial, nosso amigo Luca Galarraga da Aquabase será um dos juízes do evento, junto com outras grandes figuras do aquascaping mundial. Falando no Luca ele estave recentemente no Japão, onde participou da ADA Party 2010 e dos eventos relacionados, o que incluiu 4 dias de treinamento no ADA Seminar com o mestre Amano em pessoa, e o Luca não deixou barato: trouxe pra o Brasil o título de MVP (Most Valuable Participant), o que isso quer dizer? Que o Luca é um aquascaper de alto nível e que o Brasil está MUITO bem representado.

Aquatic Scapers Europe 2011
Inscrições de Dez, 01 até Fev, 15

Esta é a 3ª edição do evento, você conferir as imagens dos aquários das edições anteriores na galeria oficial clicando aqui.

Mais informações no site do evento.

dezembro 02, 2010

Natureza Chocante

Poraquê (Electrophorus electricus)
Essa entra na categoria curiosidades, sem dúvida. O aquário Enoshima de Namamura, Japão, montou um interessante display usando uma árvore de Natal que tem suas luzes acionadas por meio da energia elétrica gerada por um Poraquê (Electrophorus electricus), nossa conhecido peixe elétrico de água doce encontrado na região amazônica.

O Poraquê está em um tanque ao lado da árvore e dentro do tanque há duas placas de alumínio que fazem as vezes de eletrodos, quando o peixe se movimenta ele gera energia que é transmitida por circuito para as lâmpadas da árvore e estas se iluminam.

Essa façanha é possível por que o Poraquê, única espécie do gênero Electrophorus, tem uma capacidade especial de gerar eletricidade em seus músculos, células modificadas (os eletrócitos) formam placas e órgãos especiais que sob excitação disparam cargas elétricas no ambiente, no caso a água. O Poraquê usa essa características de várias formas como defesa, arma de caça e há quem diga até para comunicação. Ele caça suas presas disparando choques de carga variada para atordoá-las, de acordo com o tamanho da mesma, esperto ele, heim?

A carga gerada por um Poraquê varia de acordo com o tamanho do exemplar e o grau de estresse, geralmente é suficiente apenas para atordoar a vítima, mas pode chegar a 1.500V ou 3A, não necessariamente ao mesmo tempo, em exemplares de grande porte, suficientes para matar um cavalo, por isso cuidado com encontros inesperados quando for a Amazônia. Apesar do seu formato lembrar uma enguia ele é mais próximo de peixes como o bagre e a carpa.


Segundo os responsáveis do aquário essa ação foi pensada para que os visitantes do aquário reflitam sobre a necessidade de usar fontes alternativas de energia, os visitantes também contribuem para o show de luzes, placas instaladas no chão geram energia por meio dos passos dos visitantes.

novembro 29, 2010

Livro: Nos Jardins Submersos da Bodoquena

Capa

Nos Jardins Submersos da Bodoquena
Guia para identificação de plantas aquáticas de Bonito e região.
Autores: Edna Scremin-Dias, Vali Joana Pott, Regis Catarino da Hora, Paulo Robson de Souza.
ISBN: 85-85917-50-4

Eu conheci este livro por acaso, ele apareceu em um resultado de pesquisa quando eu buscava por outra publicação, após consultar alguns amigos eu me senti tentado em compra-lo, não me arrependi. O livro é, como sua descrição já alerta, um guia de campo. Sua leitura é fácil e acessível até mesmo para quem não está acostumado com termos botânicos ou expressões mais técnicas, nota-se a preocupação dos autores em torna-lo didático e aberto a leitura de qualquer interessado nas belezas da região da Bonito/MS.

A cidade de Bonito está encravada no Planalto da Bodoquena, região que há mais de 360 milhões de anos era o leito de um oceano interno, onde grandes recifes de corais floresceram e formaram grandes grupos de rochas calcárias. Essas rochas se elevaram ao longo da história geológica da região formando um planalto, cujos abismos ao leste divisam o Pantanal Matogrossense. 

Do leito de calcário que forma a Bodoquena nascem vários rios como o Rio Formoso, Rio da Prata, o Rio Sucuri e o Rio Perdido, que formam a bacia da região, além de diversos pontos onde a água surge das rochas ou desaparece (sumidouros) como em um ralo de pia, devido a natureza porosa do calcário que criar fissuras, grutas e cavernas por onde muitas vezes a água corre no subterrâneo, sumindo em um ponto e aparecendo em outro. Por isso o Rio Perdido ganhou esse nome, ele desaparece em um certo ponto sendo drenado por um sumidouro e ressurge da terra mais adiante.

Devido a sua peculiar formação geológicas as águas que formam a bacia hidrográfica da região tem um alto teor de minerais dissolvidos, mas devido a sua pureza as águas são cristalinas formando verdadeiros aquários naturais onde plantas e peixes florescem. O calcário é dissolvido pela acidez da água que surge das profundezas da terra e pelo seu acúmulo forma grandes depósitos ao longo dos percursos dos rios, criando belos depósitos de turfas calcáreas, que crescem pelo acumulo contínuo de material formando cachoeiras, baias e pequenos diques naturais.

Todos estes aspectos e muitos outros estão detalhados no livro, que aborda vários tópicos divididos nos seguintes assuntos: Geologia, Adaptações, Algas, Musgos, Plantas, Interações e Ambientes. 

Um dos pontos positivos do livro para qualquer pessoa que se interesse por plantas aquáticas está na forma como as informações estão cuidadosamente organizadas em formato de ficha, permitindo uma consulta rápida e precisa, os ambientes possuem bom registro fotográfico, o que permite a elaboração de biotopos com alta fidelidade ao local de referência. É sem dúvida um livro para constar na biblioteca de qualquer aquatista que deseje ampliar e conhecer melhor nossos tão variados e pouco documentados biótopos.

E para fechar com chave de ouro um vídeo mostrando o aquário natural que é Bonito, no Mato Grosso do Sul:

novembro 26, 2010

Glass no Naka: NA Complete Works English Edition

Certeza de que para muita gente será uma excelente notícia, a ADA acaba de confirmar que o seu mais novo livro Glass no Naka no Daishizen, Nature Aquarium: Complete Works 1985-2009, será lançado em edição de língua inglesa! A TFH Publications, editora americana, está preparando o lançamento para muito breve.

Language: English
ISBN: 978-0-7938-0649-2
Publisher: http://www.tfhpublications.com/

O livro leva os leitores para uma viagem visual através de mais de duas décadas dos mais inovativos e surpreendentes Nature Aquarium criados por Takashi Amano. São mais de 200 fotos vibrantes, totalmente coloridas que captura a beleza das criações do Sr. Amano, enquanto fornece instruções detalhadas passo-a-passo de como criar seu próprio aquário. A data de lançamento será anunciada em breve no website da empresa (e aqui também).

Só quem não vai ficar tão feliz com essa notícia é quem correu e comprou a versão em japonês. 

Mega Enquete do Aquarismo 2010


A Aqualinea fez uma grande parceira com vários sites e blogs brasileiros buscando conseguir a sua opinião como consumirdor, nesta ação você pode participar respondendo a Mega Enquete da pesquisa de marcas relacionadas ao aquarismo.

Você pode acessar pelo link abaixo clicando na imagem, leia as instruções da página.
Mas atenção: São duas páginas de votação, cada item é respondido individualmente, por isso não esqueça de apertar o botão votar a cada pergunta respondida.

novembro 25, 2010

Bate papo com Fabian Kussakawa

Fabian e seu Nano #1 CBAP 2010
O grande campeão da categoria Nano do CBAP 2010 foi Fabian Kussakawa, conheço o Fabian já há um certo tempo e a evolução dos trabalhos dele é notória e sei também, por e-mails que trocamos em várias oportunidades, que ele é se dedicou a estudar a fundo técnicas e estilo, mas sem abrir mão da sua personalidade na hora de elaborar seus layouts. Conversamos logo após a divulgação do resultado do CBAP, que você pode ler a seguir.

Ilustram esta postagem vários dos aquários que o Fabian criou para competir e para contemplação pessoal, clique nas imagens para ver maior.

Red Bees são uma paixão.
Fabian, primeiro nos fale sobre você, a quanto tempo você mantém aquários e quanto/como é o seu tempo de dedicação aos aquários atualmente? Em relação ao aquascaping, desde quando e por que?
Pai de um casal de filhos lindos, webdesigner, bonsaista e músico nas horas vagas. Desde então já se vão 4 anos montando e remontando aquarios plantados.
Hoje dedico o meu tempo nos fins de semana para remover o stress do dia a dia, molhando as mãos nos meus aquários. Sobre o aquascaping foi desde que comecei no final de 2006, e foi no desafio de compor novos conceitos que tendem a ser únicos como se fossem obras de arte vivas.
Criei a comunidade virtual NatureAqua visando unificar aquascapers e assim incentiva-los a participar de concursos nacionais e internacionais, além de manter um site pessoal.

Este o Fabian esqueceu de mandar para o CBAP
Você participou de várias edições do CBAP, embora tenha ficado entre os 10 é a primeira vez que você é o grande premiado, o que mudou no seu trabalho?
Participei de 4 edições sendo que a primeira não conta para mim pois tinha apenas 2 meses de hobby. As outras em 2007 fiquei em 7º (nanos) em 2008 3º (nanos) e em 2009 6º (nanos).
Sobre ter ficado em primeiro foi a persistencia de não desistir nunca, mesmo sabendo que teriam aquários excelentes. Confesso que não esperava a primeira posição. Acho que o que mudou foi saber escutar e aplicar melhor isso num contexto que faz a motivação de algo que não deu certo virar algo competitivo.

Sua atividade profissional é relacionada a criação, de que forma este lado interfere nos seus trabalhos como aquascaper?
Com certeza na criatividade e lógico no lado de perspectivas, cores, sombras e fotografia.

O estilo Nature Aquarium é muito forte entre os aquascapers brasileiros e é muito evidente na estética dos seus trabalhos, mas também percebe-se um toque pessoal, de que forma seus trabalhos se relacionam com o estilo e quais as outras referências?
Creio que na maioria os aquapaisagistas brasileiros baseiam-se no estilo Nature Aquarium do Mr. Amano. Regras e proporções já foram estudadas por eles e acabaram assim definindo um conceito sobre oque deve ser feito ou não.
O estudo de layout que faço é baseado nisso que comentei mas aplico de forma livre adequando texturas e cores ate a proporção da escala de tamanhos. Nem sempre uma planta vermelha é para ser um ponto focal. Gosto muito dos estilos landscapes também, mas sabendo usar de forma que não aparentam ser artificiais.

O que inspira o Fabian?
Ah com certeza a natureza, Admirar uma linda paisagem e já imaginar como ficaria isso num display de vidro é algo que me faz sempre ter inspiração.

Tranquilidade
Na criação dos seus layouts há uma preocupação maior com questões como proporção, conjunto e perspectiva ou você prefere deixar que o layout flua naturalmente até encontrar um ponto de equilíbrio?
Diria que a preocupação maior seria na relação do estudo antes de iniciar o projeto. As vezes a escolha da flora não bate com o hardscape, e as vezes acontece isso mesmo de o aquário ir se moldando conforme ele vai evoluindo aos poucos.

Um dos pontos críticos dos concursos atuais é a criatividade, é preciso ser inovador sem extrapolar o ponto. O que você enxerga para o futuro do aquascaping em termos de estilo? Alguma sugestão aqueles que estejam neste momento queimando neurônios para criar um layout para as competições do próximo ano?
O que vem na minha mente é que sempre irá haver mudanças nos estilos, até mesmo o Amano já está fazendo isso, ele está reinventando os conceitos até então fixos por ele mesmo. E aquele que não inovar sendo no estilo landscape ou um nature aquarium modificado não estará se arriscando a conseguir um lugar ao sol.
A sugestão que dou seria não ter medo de arriscar e participar. E para as próximas competições tentar fazer com que o material de hardscape tenha o seu devido destaque na obra final.

É isso ai pessoal, agora ninguém pode dizer que não conhece os trabalhos do Fabian, aproveita e dá um pulinho no NatureAqua para conferir, vale a pena.

novembro 24, 2010

ADA Japan estréia novo website

Como a própria ADA havia anunciado antes o novo website da empresa estreou agora há pouco, o layout se tornou mais moderno, com acesso rápido para diversas partes, muito mais amigável para navegação. Por enquanto a atualização só foi aplicada a versão em Japonês, mas provavelmente deva se estender a versão de língua Inglesa.

Este é o novo site:


E esta é a versão anterior, que ainda pode ser visto na página em Inglês:


Como podemos ver foi uma bela remodelagem.
DICA: Se ao acessar você for direcionado a versão em Inglês é só clicar no alto da página no link para versão em Japonês.

novembro 23, 2010

Bate papo com Maurício Xavier

Maurício Xavier é um dos grandes empreendedores do aquarismo brasileiro, longe de ser apenas mais um ele aproveitou a oportunidade que surgiu com o desenvolvimento do aquarismo no Brasil e fundou a Aquamazon, marca muito familiar na comunidade cujos produtos estão na categoria "objetos de desejo" de muitas pessoas. Confira:

Maurício, algumas pessoas ainda não o conhecem, quem é Maurício?
Mauricio Xavier de Almeida, 30 anos, apaixonado por aquários desde quando a minha memória consegue alcançar o passado. Fundador e proprietário da Aquamazon.
Como e por que surgiu a Aquamazon?
A Aquamazon surgiu da minha necessidade de um sistema de CO2* para o meu primeiro plantado. Eu precisava de um sistema de CO2 de precisão, e que não colocasse em risco a vida de meus peixes (possuo um Disco que me acompanha desde o início da Aquamazon, quando montei o primeiro kit de CO2)
Qual o produto mais popular da empresa?
O produto mais popular da empresa é o Livro Aquapaisagismo que foi escrito juntamente com o Rony Suzuki, sendo vendido inclusive na Europa (Portugal e Espanha).
Natural Soil
No 4º EAB a Aquamazon apresentou novidades, o que são?
Estamos já há algum tempo estudando e desenvolvendo o Natural Soil. (Mais informações no link)
Realizamos pesquisas relacionadas à nutrição das plantas aquáticas e também em substratos de rios naturais plantados. Através de nossas pesquisas e testes conseguimos selecionar inúmeros componentes que tornam o Natural Soil um substrato fértil de longa duração. Trata-se de um produto 100% natural, ecologicamente correto e de alta eficiência.
Quanto à Aqua-T, a idéia é de que as pessoas possam também manifestar a sua paixão pelo hobby através do seu estilo. Por isso, desenvolvemos 3 séries limitadas - Anubias, Blue Tang e Discos, 100% algodão e com imagem em alta qualidade através de silk screen, sendo altamente resistente às lavagens.
Como gostamos de diferenciar nossa marca, as camisetas vão embaladas em um tubo cristal.
Quais as suas expectativas?
Quanto ao Natural Soil, as expectativas são grandes, como poderá ser observado na própria embalagem do produto. Apresentamos 2 idiomas (Inglês e Português), pois nosso objetivo é além de atuar no mercado interno, exportar o Natural Soil, iniciando pela Europa através de parceiros europeus.
As camisetas, na realidade, vieram mais para suprir um desejo dos hobbistas. Esperamos que façam sucesso, pois a idéia é criar linhas variadas com peixes e plantas diferentes.
A Aquamazon tem algo mais a acrescentar?
A Aquamazon demorou para lançar novos produtos porque tudo que fazemos é minuciosamente bem elaborado. Estamos com outras linhas de produtos em desenvolvimento e lançaremos no momento certo.

É isso ai pessoal, o 4º EAB trouxe excelentes novidades e ainda tem mais a caminho. Sem dúvida o grande destaque para nós é mesmo o Natural Soil, afinal produtos para um bom substrato são sempre bem-vindos. Inclusive na montagem do aquário plantado em palestra ministrada por Rony Suzuki  foi utilizado o Natural Soil na camada fértil do substrato. Confira o vídeo:


*A menina dos olhos de muita gente.

novembro 22, 2010

Resultados do CBAP 2010

O Concurso Brasileiro de Aquapaisagismo 2010 encerrou-se em grande estilo, os vencedores foram anunciados durante o 4º EAB, Encontro de Aquaristas em Bauru,  que aconteceu dia 20/11 em Bauru, São Paulo. O site oficial do CBAP já está atualizado com a relação classificatória das duas categorias: Plantados e Nanos.

Este ano o CBAP foi fantástico, muitas participações e nível muito alto, fazendo jus a excelência dos dedicados aquascapers brasileiros, parabéns a todos. Fiquei realmente encantado com os trabalhos. Ainda durante o evento do 4º EAB algumas palavras dos juízes foram lidas para o publico presente, como nem todos estavam lá gostaria de deixar aqui a transcrição do meu pequeno texto:
Um dos grandes méritos que eu sempre atribuí ao CBAP é a sua enorme capacidade de inspirar novos aquaristas e novas comunidades.
Ao longo destes 7 anos de concurso muita coisa mudou no cenário nacional, não só em termos de conhecimento, mas de como a comunidade se articulou. Em retrospecto os grupos de aquaristas deixaram de ser algo centralizado e hoje possuem diversas comunidades fortes, crescentes e ativas, espalhadas em diversas áreas do país, com laços estreitos por meio da internet estas comunidades impulsionam e desenvolvem nosso grande país.
A força dos aquascapers brasileiros está no seu desejo de aprender, mola que impulsionou a mudança radical que o aquarismo sofreu na ultima década, uma comunidade que cresceu em conhecimento, muitas vezes tendo que extrapolar sua adaptabilidade a nossa singular realidade, e que por sua força abriu inclusive novos mercados.
Vocês hoje formam a massa crítica fruto desse desenvolvimento, a expressão máxima do desejo de estar lado a lado com qualquer aquascaper de qualquer lugar do mundo, cada um de vocês merecem o meu aplauso pois mostraram neste 7º CBAP que a soma das partes é maior que o todo.
Estes são os primeiros colocados de cada categoria, clique nas imagens para ir ao site do CBAP:

Carlos Eduardo GIl - 216 L - PR - 1º Plantados
Fabian Kussakawa - 40L - PR - 1º Nano
Pessoal do Paraná está com tudo! Parabéns, mais uma vez.

Ontem recebi por e-mail um comentário de um colega dizendo que gostaria muito de participar, mas não o fez por não achar a altura dos aquários que concorrem, só tenho uma coisa a dizer sobre isso: Ora,  participe!!! Ninguém vai direto ao todo, é preciso percorrer um caminho praticando, até chegar lá, alguns dos participantes que hoje foram premiados participaram por anos sem chegarem ao pódio e nem por isso desistiram, antes eles estudaram mais, desenvolveram suas técnicas e buscaram aprimorar seus trabalhos a cada novo aquário montado e agora colheram os frutos deste empenho. Como nossos aquários o nosso aprendizado evolui.

Esperamos por todos vocês no CBAP 2011, no CPA 2011, no AGA 2011 e no ADA 2011. Brazilian Aquascapers Power! =D

novembro 18, 2010

Aquascaping x Conhecimento

Quem freqüenta fóruns de aquarismo, em especial de aquários plantados, sabe que um dos pedidos de ajuda mais comuns é quanto a escolha das plantas para um aquário ou layout novo, muita gente tem dificuldade em escolher as plantas, principalmente quem está começando, o que é absolutamente normal. 

Como forma de ajudar eu sempre recomendo que a pessoa estude as plantas aquáticas do ponto de vista do seu desenvolvimento, exigências e utilização nos layouts. A forma mais prática e acessível para aprender como usar as plantas são os sites de concursos de aquários plantados (CBAP, CPAAGA Contest, Hungarian AC, etc.)   onde se pode conferir as fichas onde constam as espécies utilizadas naquele layout. Com a utilização do nome científico da espécie você pode consultar um site americano, francês ou italiano e mesmo assim vai saber quais plantas foram usadas, por isso também é importante aprende-los. Na dúvida sobre qual a aparência tem uma espécies que não identificamos o Google sempre ajuda, basta digitar o nome é pedir para que ele pesquise imagens, funciona em quase 100% dos casos.

O conhecimento em relação as necessidades é importante por que cada aquário é um ambiente único e deve ser construído em razão daquilo que irá abrigar, seja flora ou fauna. Existem plantas de crescimento rápido e lento, grandes, médias e de pequeno porte, plantas muito resistentes e adaptáveis a vários aquários e plantas que exigem condições específicas seja de luz, nutrição mineral ou níveis de dióxido de carbono (CO2). Mesma situação para fauna, não se pode pôr qualquer peixe no aquário, é preciso que a espécie seja adequada para o aquário ou o aquário adequado a espécie, assim como as plantas alguns peixes precisam de condições específicas para terem uma vida saudável, podemos citar um exemplo entre duas espécies comuns em qualquer região: Para ficar entre os mais comuns cito Kinguios e Neons, são peixes que quase todo aquarista já manteve, inclusive juntos, mas são peixes com necessidades completamente opostas, pois Kinguios são peixes de água fria e alcalina e Neons são peixes de águas tropicais e ácidas, por estes peixes pertencem a dois tipos de aquários com condições diversas entre si. Existem diversas galerias de espécies de Peixes e espécies de Plantas organizados em fichas com diversas informações que podem ser consultadas livremente na internet.

Conhecer todos estes parâmetros nos torna capazes de idealizar de forma sólida como poderá eventualmente evoluir um aquário que estamos projetando, dai a importância de conhecer bem todas as nossas espécies disponíveis, seja fauna ou flora. 

Já li e ouvi diversas vezes frases como "não gosto de aquários plantados por que não tem peixes", mas isso não é uma verdade em nenhum aspecto. Aquários plantados como os mais modernos evoluíram em cima de conceitos desenvolvidos nos últimos 30 anos, em especial a década de 90 e o ínicio do século 21, regras estas que passaram a utilizar o conhecimento que a própria natureza emprega para manter seu equilíbrio, a maior expressão hoje sem dúvida é o estilo Nature Aquarium da ADA e seu equilíbrio entre fauna e flora. Nestes aquários fauna e flora se equilibram pelo bem comum do aquário, o que as pessoas não costumam ponderar é que uma grande quantidade de plantas é necessária para uma pequena fauna, isso acontece em qualquer nicho ecológico, não é diferente em nossos aquários onde as plantas participam ativamente dos ciclos químicos dos elementos. De qualquer modo eu acho natural ouvir "quase não tem peixes" por que há realmente uma diferença absurda entre a fauna equilibrada de um aquário moderno e os "aquários comunitários" tão populares até anos atrás. Há muitos artigos na internet falado sobre isso.

Outro dia um amigo me questionou a respeito do quão natural seriam "estes Nature Aquarium que usam tantos e tantos suplementos, fertilizantes, etc". Primeiro precisamos ter em mente que a tradução literal do termo Nature Aquarium, ou seja, Aquário Natural não responde a pergunta "O que é um Nature Aquarium?" e cria um erro de conceito, pois essa designação não diz respeito a sua manutenção ou estrutura, estando mais relacionado a sua fundamentação paisagística. Como eu brinquei naquele momento "o aquário natural não se propõem a ser um aquário natureba" mas é solidamente apoiado em tecnologia e manutenção de certa forma intensa, e essa tecnologia por sua vez veio da observação dos processos biológicos e ecológicos que em um sistema fechado como um aquário jamais poderiam ser reproduzidos de forma absolutamente exata. No entanto a dinâmica do paisagismo aquático no Nature Aquarium segue um linha estilística fundamentalmente natural, baseada no conceito de paisagem natural e na sua estética. Para conhecer o método El Natural de Diana Walstad recomendo ler este livro, pois este se baseia em um conjunto de práticas mais condizentes com o termo literal de aquário natural.

Fazendo uma análise das técnicas utilizadas, como o Iwagumi ou o Wabikusa, podemos observar que todas elas derivam da observação da própria natureza e na tentativa de reprodução da sua estética, mas sempre se utilizando de artifícios tecnológicos que os tornem possível de existir, daí a denominação Nature Aquarium.

Esse texto enorme brotou de um artigo que eu tive oportunidade de ler esta manhã e foi postado primeiramente pelo Marcos Ricardo do Aquafloripa e depois reproduzida pelo Fábio Correa do Aqualize, sendo um artigo original do site RoslinyAkwariowe.pl neste tópico (exige resgistro), uma tradicional comunidade online da Polônia. É um experimento tão absurdamente simples quanto revelador para qualquer um que simplesmente pare e olhe com mais atenção. Um simples experimento demonstra de modo simples um pouco do que falei acima.

Display: 80x30x35cm
Sistema de filtragem: Eheim 2028
Iluminação: 4x24W T5 - Sylvania Grolux, Aquastar, 865, 830
Injeção de CO2: cilindro pressurizado 1,5 kg, com difusor de vidro
Substrato: ADA Amazonia II, Oliver Knott Nature Soil FINE
Fertilização: ADA Green Brighty STEP 2, Seachem Potassium, Easy Life Easy Carbo
Plantas: Conforme o mapa abaixo.

Mapa de Plantio
Mapa do plantio.
1º Dia após plantio
1º dia após o plantio.

1ª Semana após plantio
1ª Semana após o plantio.

1º Mês após plantio
1º Mês após o plantio.

2º Mês após Plantio
2º Mês após o plantio, fim do experimento.
Observando as imagens podemos clamaremente perceber a forma e o ritmo de crescimento de cada espécie utilizada, vale destacar que o resultado final do paisagismo só foi alcançado por que o aquarista sabia o que e onde plantar, ai está em fotos a importância do estudo de cada espécie para composição do layout.

novembro 17, 2010

Takashi Amano's House

Não sei se vocês já viram este vídeo, então decidi postar aqui para não passar desapercebido, pois é uma visita a casa do Sr Amano onde podemos conferir o fantástico aquário que ele mantém em sua residência.


Impressionante, não? Acho que qualquer pessoa gostaria de ter um desses em casa.

novembro 15, 2010

Bacopa sp. Lumos Solem

Cientistas Taiwanesses fizeram uma descoberta muito interessante enquanto pesquisavam opções para produção de luz tão eficiente quando o LED, mas sem o uso de insumos tóxicos, como o fósforo no qual se baseiam os LEDs atuais, procuram por materiais biologicamente mais corretos e acessíveis. Em uma das experiências descobriram que ao introduzir nano partículas de ouro em Bacopa caroliniana as plantas começaram a emitir bioluminescência de cor avermelhada em suas folhas. 

Os cientistas agora acreditam que se a técnica for viável árvores inteiras poderão produzindo luz para iluminar  ruas e estradas,  dispensando postes e economizando energia elétrica. As ruas das cidades seriam iluminadas pela sua própria vegetação. 

Bioluminescência das folhas de Bacopa
Além desse efeito fantástico as plantas ainda passam a consumir uma quantidade de CO2 superior ao normal, ou seja, além de iluminar e economizar energia estas plantas ainda estariam sequestrando gigantescas quantidade de CO2, um dos principais gases responsáveis pelo efeito estufa e suas alterações no clima do nosso planeta.

novembro 10, 2010

How to Layout Making Manual

Material antigo, mas ainda assim um manual básico.
O livreto é uma das várias iniciativas da ADA para difundir os conceitos de montagem de aquários baseados no estilo Nature Aquarium, aproveite e faça o download, pois é grátis.

Link para baixar da ADA Indonésia:
http://www.adana.co.id/how-to-layout-making-manual.html

How to Layout Making Manual ADA


outubro 29, 2010

IAPLC 2011

Você ainda nem se recuperou do IAPLC 2010? Prepare-se, pois a ADA já lançou o IAPLC 2011


Grande Prêmio: JPY 1.000.000,00!
Prazo de inscrição: 31 de maio de 2011
Mais informações no site oficial do IAPLC.

Se você quiser ajudar na divulgação a ADA disponibilizou uma página com banner e botão do evento para por no seu site.

Será que 2011 consegue bater o record de inscritos em 2010? Veremos!

outubro 27, 2010

7º Aniversário do Fórum Aquariofilia.net

O Fórum Aquariofilia.net convida a todos para a comemoração dos seus sete anos de atividade, a comunidade Portuguesa convida para para dois dias de programação nas cidades de Porto e Lisboa.

Desde já nossas congratulações!!! Clique na imagem para ver maior.

Cartaz 7 Aniversário Aquariofilia.net

2º EAA Encontro de Aquariofilismo em Alagoas

Caros, a comunidade do Alagoas está produzindo um evento para Novembro, 6. Anote ai na agenda e veja só o que eles estão preparando:

O evento consta de três palestras oferecidas por empresas Alagoanas do ramo com temas diversos que enriquecerão o Aquarismo local, como também a montagem de um aquário plantado ao vivo e o sorteio de brindes no encerramento do evento.

Contamos com a participação das empresas alagoanas para que nosso hobby possa crescer, esperamos com isso possa desenvolver o Aquarismo Alagoano que muito tem a nos oferecer e desenvolver.

Logo A3
Realização: A³ – Amigos da Aquariofilia Alagoana
Data: 06 de Novembro de 2010 (Sábado)
Horário: 16:00 às 20:30
Local: Auditório do Espaço Cultural (Antiga Reitoria na Praça Sinimbú)
Inscrições: Nas lojas participantes.
Investimento: R$: 13,00 (Antecipado)

Informações: amigosaal@gmail.com
(82) 8838-6647 (André Albuquerque)
(82) 9118-9249 (Marcos Bonfim)
(82) 9637-8006 (Marcos Paulo)

Apoio
Aquário & Cia Pet Shop, Biotopo Brasil, Casa dos Aquários, D’Aquarius, Discovery Aquários, Pierre Aquários, Quadro Vivo, Sea World, Alcon, Aquamazon, Baiano Racões, Cubos, MBREDA, Poytara, Sunshine Piscicultura

Cobertura: Studio 2L – http://bit.ly/a0cTO7

Contará também com mini exposição de Aquários dos lojistas e organizadores, como também exposição de Bettas de linhagem dos criadores Alagoanos.
Cartaz 2º EAA
Cronograma

16:00h Credenciamento
16:30h Início das palestras (duração de 45 minutos cada palestra)
19:00h Coffee break
19:30h Início da montagem do Quadro Vivo
20:30h Sorteio dos brindes e encerramento.

As palestras são as seguintes:

A Criação de Bettas (Carlos Roberto – D’Aquárius)
  • Produtores
  • Linhagem Betta
  • Nutrição: Alevinos X Crescimento
  • Água: Mole X Dura e medição em metros quadrados e metros cúbicos e sua influência
  • Hidropsia x Calcário
Iniciação no Aquário Marinho (Bruno – Sea World)
  • Desmistificando do Aquário Marinho
  • Custos do Marinho x Plantado
  • Requisitos mínimos
O Aquário de Água Doce (Maivan – Casa dos Aquários)
  • Montagem básica de um Aquário dulcícola.
  • Prevenir é melhor
  • Prevê através da observação dos peixes
Montagem de um aquário plantado pela Quadro Vivo*
  • Conceitos básicos da montagem de um plantado
  • Dúvidas e alternativas.
  • Produtos utilizados na montagem doados pelas lojas participantes.
*Será sorteado entre os presentes no término do encontro.

outubro 26, 2010

As raras Hakkai Seki



Sabe aquelas pelas pedras que o Sr Amano usa em seus aquários, como esse ai de cima, e que metade dos aquaristas ama, por que são absurdamente lindas, e a outra mete odeia por que não consegue achar nada parecido? Pois é, elas são originadas da montanha Hakkai que fica na região de Niigata, no Japão, por isos o nome Hakkai Seki ou Pedra Hakkai. São apreciadas há séculos milênios por seu padrão, cor e textura. São objeto de desejo de todo bom apreciador de Bosai, Suiseki, Kusamono e, claro, de quem é fan do estilo Iwagumi, popularizado pela ADA no mundo todo. 

Ao contrário dos que as pessoas normalmente pensam, afinal existem uma montanha, elas são raras. Raras ao ponto de não serem encontradas em qualquer local do Japão que venda outros tipos de pedras para qualquer fim. As únicas peças que estão disponíveis são aquelas que já fazem parte de coleções particulares e, segundo costa, o Sr Takashi Amano tem uma bela coleção delas. 

Mas afinal, por que elas são tão raras? Por que elas são encontradas dentro de uma área de proteção do governo japonês e somente podem ser retiradas de forma restrita e com permissão expressa, qualquer outra retirada é considerada não autorizada. Isso não deve fazer muito sentido da cabeça da maioria dos brasileiros que certamente consideram isso uma banalidade digna de ser ignorada e ir lá pegar assim mesmo, mas vejam só o que é cultura: como eu falei antes não existem pedras no mercado que não sejam de coleção. Pelo menos não de forma oficial. Apesar disso aparentemente não é complicado para alguém, conforme o relato,  simplesmente ir até lá e pegar o que quiser como podemos ver no relato e fotos do Sr Chong. Não vamos julgar ninguém aqui, ok?

Pra você que já está deprimido com isso tudo, calma, há uma chance de conseguir uma pedra similar a Hakkai, para isso basta procurar regiões em que existam rios com corredeiras fortas, as chances de achar pedras com um padrão similar são altas. Mas grosso modo, como o Champagne só é Champagne se vier da região de Champagne na França, uma pedra só é Hakkai ser vier da Montanha Hakkai, em Niigata. Mas pelo menos já é alguma coisa ter uma similar, não é? (= O representante da ADA nos EUA vende pedras bem parecidas, similares a Hakkai Seki.

E por falar no representante americano da ADA, ele é um dos pouco felizardos que conseguiu adquirir um belo conjunto dessas pedras, levou para casa e montou um aquário com elas, ainda postou um vídeo mostrando todo o processo, o Sr Senske é um felizardo. Curiosidade: no link do relato do Sr Chong há detalhes de como Jeff Senske conseguiu suas pedrinhas. ;D


Infelizmente a maioria das pedras que achamos em lojas do Brasil ainda são pedaços quebrados de blocos ou pedras sem muito apelo estético, geralmente provenientes lojas de pedras para construção civil ou de diretamente de pedreiras comerciais, não há um processo tão seletivo quanto a origem, embora muitas lojas realmente tentem garimpar estes itens. 

Boas peças são poucas, limitadas em opção e geralmente caras, imagine o frente de 15kg de pedras. Por isso se você tiver oportunidade de andar em locais com oa possibilidade abra o olho, mas seja seletivo, não adianta você querer levar a montanha para casa, pois você não vai usar, leve em consideração que áreas de proteção tem coleta restrita, respeite as leis ambientais do nosso país.

outubro 24, 2010

As Furnas

Para o Domingão deixo um vídeo do blog Recavox.

Aquário "As Furnas em Julio" em Hora do Rango! Um belo aquário de apenas 40L.

outubro 23, 2010

Aigua Dolça por Jordi Pelegrí

Outro dia conversando com um amigo estávamos tratando da velha peleja entre aquários marinhos e doces, eu sei que nunca se chegará a um consenso, afinal são muitas questões envolvidas e a estética, que já não é algo simples, afinal cada pessoa tem a sua, é apenas uma dos componentes dessa complexa equação. A conversa poderia se estender infinitamente, mas há um porém, os aquários de água doce tem uma faceta que os marinhos se não o têm não exploraram ainda, ou pelo menos ainda não tenho conhecimento.

Plantas Emersas
Plantas de aquários em sua grande maioria são higrófilas, isso significa que são plantas que ao longo dos seus milhões de anos de evolução adaptaram-se para suportar condições diferentes em seu ambiente: Hora submersa, hora emersas. Existem muitas plantas que são aquáticas verdadeiras, mas a quantidade de plantas com essa capacidade de adaptação é muito maior, embora muitos aquaristas não estejam cientes deste fato. 

Essa característica marcante nos dá oportunidade de criar ambiente únicos, afinal em um mesmo aquário eu posso ter uma planta em sua forma emersa e submersa. Interessante, não? E hoje navegando pelos blogs preferidos eu percebi que havia um aquário que é um exemplo perfeito para esse efeito, exatamente o que dá título a esta postagem.

O aquário de Jordi Pelegrí figura na galeria do blog Colectivo AquaDiseño Español, uma comunidade que reúne vários mestres do aquapaisagismo hispânico, e o grande detalhe deste aquário é exatamente o fato de ter duas fazer distintas: emersa e submersa. A fase emersa ocupa uma bem bolada plataforma com vegetação luxuriante, enquanto a parte submersa contou com a escolha de espécies adequadas as condições de luz. Clique nas imagens para ir a página do aquário.

Aigua Dolça por Jordi Pelegrí

Acho que isso conta como um pontinho a mais para os aquários de água doce. =) Sem tirar mérito algum dos marinhos, isso tem que ser admitido. 

outubro 22, 2010

Primer Concurso de Paisajismo Acuático del Perú

É com muita satisfação que compartilho com vocês a notícia do Primer Concurso de Paisajismo Acuático del Perú, promovido pelo fórum Acuaristas del Perú, comunidade que une e celebra o aquarismo no nosso vizinho sul-americano.

O concurso é aberto a todos os que participam da comunidade online, maiores informações na página oficial do evento.

Cartaz do Primer Concurso de Paisajismo Acuático del Perú

Confesso que fiquei curioso para ver o resultado desde já, pois apesar de vizinhos nós brasileiros temos ainda um grande distanciamento da comunidade latina sul-america. O aquapasaigismo no entanto não tem fronteiras. Desde já meu sincero desejo de sucesso aos organizadores.


outubro 21, 2010

Kusamono Shitakusa Kokedama Wabikusa

Gostaria de compartilhar com vocês algumas informações sobre os quatro assuntos principais que dão título a esta postagem: Kusamono ou Shitakusa, Kokedama e Wabikusa.

Cada um destes nomes refere-se a um estilo de arte contemplativa japonesa envolvendo a elaboração de layouts com plantas terrestres, aquáticas ou palustres, sendo que a mais conhecida atualmente, pelo menos entre os aquaristas, é exatamente o estilo mais recente, o Wabikusa "criado" e popularizado pela ADA. Eu coloquei a palavra criado entre aspas por que na verdade o Wabikusa, não foi exatamente criado, o estilo é uma adaptação que envolve conceitos, técnicas e bases dos outros estilos, os quais veremos com mais detalhes individualmente.

Suikei
Antes de tudo precisamos estabelecer uma característica tão simples quanto básica referente a temporalidade destes arranjos. Todos estes quatro estilos são elaborados com elementos vivos, que irão crescer, desenvolver-se e mudar conforme o tempo, eles tem portanto duração indeterminada e não breve. Outros estilos existem para os arranjos não vivos e de existência mais breve, como os famosos arranjos Ikebana ou ainda o Suiseki que se trata da apreciação de rochas, que podem ter muitas formas e evocar semelhanças a pessoas, animais, objetos, plantas, paisagens ou mesmo simples abstrações, mas que trazem consigo algum valor estético, na página Suiseki da Wikipedia Espanhol é possível ter uma boa visão sobre o estilo e suas formas variadas. Na foto acima exemplo de Suiseki Keiryu-seki (forma de corrente).

Kusamono ou Shitakusa
Kusamono
Kusanomo são arranjos que primitivamente eram elaborados como acompanhamento para exibições de Bonsai no estilo clássico (Tokonoma), de pinturas, poemas (Haiku), Suiseki, etc. Estes pequenos arranjos funcionavam como auxiliares, portando eram criados de forma a complementar um conjunto, sem sobrepor o assunto primário, ou até aludir a origem da peça principal, por exmeplo de onde veio o Suiseki ou Bonsai ou qual a inspiração para o Haiku. Sua composição usa vasos para Bonsai ou bandejas próprias chamadas Suiban e sua beleza está na simplicidade. Com o passar do tempo o Kusamono passou a ter sua estética apreciada separadamente e ganhou vida própria na forma de belos arranjos vivos com feições naturais, recebe o nome de Shitakusa. Um bom Kusamono não é algo estático, ele cresce e muda conforme o passar do tempo. Na foto acima note que o pequeno Kusamono contrapõem e equilibra a visualização do imponente bonsai.

Kokedama
Kokedama
O Kokedama era considerado o Bonsai dos pobres, visto que os Bonsai propriamente ditos eram reservados as elites Japonsesas com poder aquisitivo para isso. O grande diferencial do Kokedama é sua simplicidade em termos de elaboração/manutenção e principalmente o seu substrato em forma de bola coberto de musgo verdejante, efeito que é conseguido com a utilização de musgo para compor um torrão redondo onde as plantas serão fixadas, geralmente é mais elaborado que o Kusamono, pois é primariamente uma peça individual, portanto não há preocupação com o fato de sua elaboração poder ser bem mais cuidadosa. Pode ser exibido em qualquer tipo de recipiente, dos clássicos aos moderno recipientes que qualquer um tem casa. Assim como o Kusamono o Kokedama é muito popular no Japão e se espalhou pelo mundo por sua beleza simples. 

Wabikusa
Wabikusa
Chegamos finalmente ao Wabikusa, quem já viu um já deve ter percebido quanto do Kusamono e do Kokedama são intrínsecos ao Wabikusa, que pegou emprestado a estrutura e a estética dos dois estilos, fazendo uma distinção específica: O Wabikusa é feito com espécies de plantas palustres, ou seja, plantas que poderão perfeitamente passar do estado emerso para o submerso, uma sacada genial da ADA, e chegamso finalmente aos nossos aquários. A ADA dispõe de solos específicos que tornam possível a criação do torrão que será submerso parcial ou completamente, diferente do estilo Kokedama em que o solo é apenas mantido húmido. Na foto acima o mesmo arranjo fora e dentro do aquário em desenvolvimento.

É interessante notar como os conceitos se cruzam, onde eles se originam e como eles evoluíram até o que hoje chega até nós, desta forma podemos aperfeiçoar nossas escolhas e compreender de forma mais técnica a questão da estética Nature Aquarium. Como bom exemplo podemos citar o uso do Iwagumi, a técnica de arranjo de rochas que também tem suas raízes nos jardins japoneses, a pesquisa é parte fundamental do aprendizado e espero com este esforço ter criado subsídios necessários para aqueles que queiram dar seus primeiros passos na área ou simplesmente ir um pouco mais além.

Recursos
Como este artigo envolve vários assuntos que de alguma forma se relacionam eu resolvi compartilhar uma sério de links onde cada um deles é tratado com mais propriedade. Aqui estão:

Related Posts with Thumbnails